7 casos suspeitos deram negativos para febre chikungunya em Teresina

Dos 140 casos suspeitos da doença, sete exames tiveram resultado negativo. Demais casos ainda estão em análise. Em Teresina, 1.091 casos de dengue foram notificados

Dos 140 suspeitos em Teresina da febre chikungunya, doença causada pelo vírus CHIKV, da família Togaviridae, até o momento nenhum caso foi confirmado. Sendo que deste número, sete exames tiveram resultados negativados, ficando pendentes ainda o resultado de 133 exames.


A chikungunya vem assustando os teresinenses devido aos seus sintomas, que se semelham aos da dengue, que inclusive é adquirida pelo mesmo mosquito transmissor, o Aedes aegypti, comum no período chuvoso.
De acordo com Amariles Borba, diretora de Vigilância e Saúde, até o momento nenhum caso foi confirmado, dos sete resultados que chegaram em Teresina, todos tiveram resultados negativados.

“Nós já temos mais de 140 casos notificados e temos 7 resultados negativos e estamos aguardando os outros 133 resultados. Segundo o Ministério da Saúde, quem está habilitado a fazer o exame é apenas o laboratório Evandro Chagas de Belém no Pará, que inclusive, está fazendo para país todo”, garante Amariles Borba.

A diretora também destaca a a compra de testes que serão distribuídos nos laboratórios de saúde pública. “A notícia que nós temos do Ministério da Saúde é que ele está efetuando a compra que deve chegar ainda, em breve, mas não sei determinar o número de dias. O fato é que está comprando os testes para serem distribuídos aos laboratórios de saúde pública dos estados”, pontua Amariles Borba.

DENGUE - Os números do balanço da Fundação Municipal de Saúde confirmam que, até o momento, foram 1.091 casos de dengue notificados em 2015. O índice é preocupante e requer atenção de toda a população, que também deve fazer sua parte para evitar a criadouros do mosquito em suas residências. Entretanto, também é papel do poder público monitorar lixões e terrenos baldios espalhados pela cidade.

Segundo a FMS, Teresina tem mais de 1.200 pontos considerados estratégicos em diversas zonas da cidade. O pior de tudo é que a população quem sofre. É o caso da idosa Francisca Neves, de 80 anos. Ela mora ao lado de um terreno baldio e contraiu dengue três vezes nos últimos dois anos. A idosa mora no Bairro Horto Florestal e o terreno baldio em questão acumula mato e sujeira há muito tempo.

“Além de ser esconderijo para ladrões, lá também é um criadouro de mosquito da dengue. Em aproximadamente dois anos minha avó pegou a doença três vezes. Tomamos todos os cuidados e já procuramos ajuda na SDU/Leste. Mas eles mandaram a gente procurar a TV e fazer a denúncia”. A história parece absurda, mas é confirmada pela neta da idosa, Denise Neves, e pela tia.

A Prefeitura Municipal de Teresina garante que está fazendo sua parte e designou que a Gerência de Zoonoses e Fundação Municipal de Teresina intensificassem o monitoramento de terrenos baldios, assim como borracharias e sucatas. “Estão enquadrados como Pontos Estratégicos todos as áreas em situação de risco, como hortas comunitárias, cemitérios e até imóveis abandonados, desde que concedido acesso aos agentes de endemias”, explica a gerente de Zoonoses, Oriana Bezerra. Em 2015, o Piauí registrou 1.887 notificações de casos suspeitos de dengue, o que representa um aumento de 34,3% em relação ao mesmo período do ano passado. Dos 1.091 casos notificados de suspeita de dengue, em Teresina, 11 foram confirmados e classificados com sinal de alerta.

 

Fonte: Márcia Gabriele