Oito mil professores do Piauí estão sendo formados através de programa

Desde 2010, o Plano da Plataforma Freire é executado no Piauí

A formação de professores é, e deve ser cada vez mais, atribuição da educação superior, principalmente no espaço da Universidade, pois, sem professores bem formados, as metas da educação básica não podem ser atingidas.

Sem essas prioridades as tentativas de melhoria da qualidade da educação básica têm dificuldades de chegar a resultados significativos, evidenciando-se nessa perspectiva a necessidade de se investir muito mais nas bases de formação dos profissionais do magistério.

É por esses motivos que, desde 2010, a Plataforma Freire tem transformado a realidade da educação do Estado. O projeto foi implantado em regime de colaboração entre a Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior), os estados, municípios o Distrito Federal e as Instituições de Educação Superior (IES).Cerca de 1000 professores em exercício na rede pública de educação básica do Piauí já estão concluindo os cursos de segunda licenciatura neste semestre.

De acordo com Ana Maria Almeida, gerente de Formação e Aperfeiçoamento dos Profissionais da Educação, atualmente, 8 mil professores estão matriculados.

Ela explica que a Plataforma Freire é um sistema eletrônico criado em 2009 pelo Ministério da Educação, com a finalidade de realizar a gestão e acompanhamento do Plano Nacional de Formação dos Professores da Educação Básica - PARFOR.

?O PARFOR visa induzir e fomentar a oferta emergencial de vagas em cursos de educação superior, gratuitos e de qualidade, nas modalidades presencial e a distância, para professores possam obter a formação exigida pela LDB (Lei das Diretrizes Básicas da Educação) e contribuir para a melhoria da qualidade da educação básica?, coloca.

Através da Plataforma Freire, o professor pode realizar uma licenciatura, desde que, após sua pré-inscrição no sistema, a secretaria de educação valide a pré-inscrição e a Instituição Formadora para a qual se candidatou considere-o habilitado, e o matricule em curso de licenciatura.

Elziane Cardoso, 45 anos, é uma das alunas que está há um ano e meio sendo formada pelo PARFOR. Ela é do município de Colinas, MA e assisti as aulas em Teresina, no Centro de Referência em Formação dos Profissionais da Educação (Instituto de Educação Antonino Freire). ?Resolvi trazer a família para Timon.

Agora estou tranquila no curso, onde tenho grandes contribuições para minha profissão. Ele é excelente para a qualificação. Lá em Colinas nunca teria uma oportunidade dessas?, coloca a professora.

Por meio da Plataforma, a Capes induz e fomenta a oferta de cursos de licenciatura nas modalidades presencial e a distância em Instituições de Educação Superior.

Esses cursos permitem que o professor da rede pública de educação básica, possa obter formação superior em cursos gratuitos e de qualidade, na disciplina em que atua em sala de aula.

O PARFOR contribui ainda, de maneira significativa, oferecendo oportunidades iguais a todos os professores em exercício nas escolas públicas de educação básica que não possuem curso superior ou que possuem mais atuam em área diferente a sua formação.

?Em suma, ele possibilita o acesso dos professores a cursos superiores públicos, gratuitos de qualidade nas melhores instituições de ensino superior do estado.

Após o inicio do curso o professor pode articular a teoria e a prática, utilizar novas metodologias de ensino. Tornando as nossas escolas mais atrativas para os nossos educandos?, acrescenta Ana Maria Almeida ao destacar que os cursos acontecem tanto no ISEAF, como na UFPI, UESPI e IFPI.

Procura pelos cursos da plataforma é satisfatória

A procura pelas formações é satisfatória. Segundo a gerente de Formação e Aperfeiçoamento dos Profissionais da Educação, Ana Maria Almeida, se houver maior mobilização dos professores nas escolas publicas, o Piauí poderá em um curto espaço de tempo ter todos os professores com no mínimo um curso de licenciatura plena, sendo que, a maioria desses profissionais atuam nos municípios.

"A SEDUC (Secretaria Estadual de Educação) como articuladora com os municípios mantém uma equipe disponível para sanar todas as duvidas e auxiliar os gestores municipais no processo de mobilização, divulgação dos cursos", completa.

O Programa fomenta a oferta de turmas especiais em cursos de Licenciatura - para docentes ou tradutores intérpretes de Libras em exercício na rede pública da educação básica que não tenham formação superior ou que mesmo tendo essa formação se disponham a realizar curso de licenciatura na etapa/disciplina em que atua em sala de aula, é a segunda licenciatura; e para professores licenciados que estejam em exercício há pelo menos três anos na rede pública de educação básica e que atuem em área distinta da sua formação inicial, ou para profissionais licenciados que atuam como tradutor intérprete de Libras na rede pública de Educação Básica.

Existem ainda turmas especiais para cursos de formação pedagógica - para docentes ou tradutores intérpretes de Libras graduados não licenciados que se encontram no exercício da docência na rede pública da educação básica.

Fonte: Aline Damasceno