80% ficam sem casa por falta de documentos

Em Teresina a pretensão é atender 1852 famílias, sorteadas desde outubro do ano passado

O programa Minha Casa, Minha Vida, iniciativa do Governo Federal, visa reduzir o déficit habitacional no país. Só no Piauí, a meta é beneficiar mais de 7. 087 famílias. Em Teresina, a pretensão é atender 1.852 famílias, sorteadas desde outubro do ano passado. No entanto, deste total, 1.500 famílias não compareceram ao posto de atendimento do programa na capital, isto é, 80% dos titulares sorteados.

As famílias sorteadas pelo programa tiveram o prazo de mais de três meses para a entrega a documentação exigida nos postos de atendimento. Teve como prazo inicial, 23 de outubro a 9 de fevereiro, mesmo tendo o prazo prorrogado para o dia 27 de fevereiro, muitas famílias não conseguiram garantir o benefício.

De acordo com Rogéria Sousa, coordenadora de Habitação da Secretaria Municipal do Desenvolvimento Urbano e Habitação (Semduh), 1.500 famílias não compareceram ao posto de atendimento, principalmente, por não possuir a documentação completa. Ela garantiu que o atendimento será apenas para quem está no cadastro-reserva.

“Estamos agora na Etapa 3 dos sorteados do programa Minha Casa, Minha Vida, vamos atender as famílias do cadastro reserva, já que dos 1.852 titulares, 1.500 não compareceram no posto de atendimento. Isso aconteceu, principalmente, porque as famílias não estão conseguindo reunir todos os documentos exigidos e que são de suma importância. Vamos atender, agora, quem já está no cadastro-reserva. E esperamos que estas pessoas compareçam”, destaca Rogéria Sousa.

Para quem está no cadastro-reserva, o atendimento acontece de segunda-feira a sexta-feira, das 7h30 às 16h30 na própria sede do programa, situada na Rua Rui Barbosa, 3079, Bairro Matadouro, ao lado do Teatro do Boi, zona Norte de Teresina, em frente ao Clube do Gari, a fim de iniciar o contrato de habitação junto à Caixa Econômica Federal.

Fonte: Virgínia Santos e Márcia Gabriele