9 mortos em queda na Renascer

Os corpos de sete das vítimas do desabamento devem ser retirados do Instituto Médico-Legal

Morreu por volta das 6h30 desta segunda-feira (19) na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo a nona vítima do desabamento na Igreja Cristã Apostólica Renascer em Cristo, no Cambuci, Zona Sul de São Paulo, ocorrido neste domingo (18). Segundo a assessoria de imprensa do hospital, Luiza Silva, de 62 anos, morreu em decorrência dos ferimentos sofridos no acidente. Outras oito pessoas morreram e 93 pessoas ficaram feridas.

Os corpos de sete das vítimas do desabamento devem ser retirados do Instituto Médico-Legal Central de São Paulo ainda durante a manhã desta segunda. Segundo o IML, seis corpos já foram liberados e as famílias aguardam apenas resoluções burocráticas da funerária.

Uma das vítimas ainda não foi reclamada pela família. A última vítima fatal morreu no início desta manhã, e seu corpo ainda não chegou ao IML.

O Corpo de Bombeiros de São Paulo informou que cerca de 600 pessoas estavam no local quando o teto desabou, pouco antes do culto das 19h de domingo. Os bombeiros permaneciam fazendo buscas por possíveis vítimas do desabamento no início da manhã desta segunda. De acordo com a corporação, 15 equipes estavam no local.

Segundo os bombeiros, um homem de cerca de 40 anos que foi dado como desaparecido pela família é procurado no local. De acordo com os familiares, a possível vítima costumava ir ao culto e não foi encontrada. Não há confirmação, mas os bombeiros trabalham com a hipótese de que ele pudesse estar no templo. O homem também é procurado nos hospitais para onde foram levadas as vítimas.

Oito imóveis vizinhos ao templo foram interditados pela Defesa Civil da Prefeitura da cidade após o desabamento. Os imóveis foram interditados pois há risco das paredes laterais do templo, que apresentam rachaduras, desabarem e atingir as edificações vizinhas.

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública, há feridos em 15 hospitais e dois pronto-socorros em diversos pontos da capital. Muitos tiveram fraturas múltiplas, inclusive com afundamento de crânio e membros. Nesta madrugada, de acordo com a secretaria, algumas vítimas continuavam internadas em observação e outras tinham sido liberadas.

Risco de desabamento

O governador de São Paulo, José Serra, esteve na noite deste domingo no local. Ele mesmo só conseguiu chegar à porta do templo e foi impedido de entrar. ?Ainda há risco de desabamento?, contou ele, que disse ter escapado de ser atingido por um aparelho de ar condicionado que caiu a ?poucos centímetros? de onde estava.

Segundo o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, só será possível descobrir as causas do acidente após a perícia, que começará nesta segunda-feira (19) com funcionários da Secretaria de Habitação e da Polícia Civil.

De acordo com Serra, em princípio, a situação do prédio ?estava legal?, no que se refere a documentos de alvará e de manutenção. O governador descreveu o templo como estando ?em ruínas?.

?Sorte divina?

Depois de ver de perto os escombros da igreja, o governador e o prefeito foram até o Hospital Cruz Azul, que é da Polícia Militar e fica a cerca de 500 metros do templo, na Rua Lins de Vasconcelos. Para lá, foram levados 26 feridos, entre eles, uma criança de 9 anos e um adolescente de 13. Serra classificou como ?sorte divina? o fato de o número de fiéis ter sido menor no momento do acidente porque era hora da troca do culto, que teria reunido cerca de 2 mil pessoas.

De acordo com o porta-voz dos bombeiros no local, tenente Miguel Jodas, todos os corpos dos oito mortos são de mulheres. Os feridos foram encaminhados a hospitais da região. Entre eles, o hospital Cruz Azul, o hospital São Camilo, o Pronto-Socorro do Jabaquara, o Pronto-Socorro Vergueiro e o Hospital das Clínicas.

De acordo com o Hospital das Clínicas, na Zona Oeste, seis vítimas foram atendidas ali, cinco com ferimentos leves e uma em estado mais grave, que passou por procedimento cirúrgico.

De acordo com a assessoria de imprensa da Renascer, o templo onde ocorreu o acidente é a sede mundial da igreja e tem capacidade para cerca de 2 mil pessoas. No local, funcionava um cinema anteriormente. Foi nesta igreja que, em dezembro de 2005, o jogador de futebol Kaká casou.

Por volta das 18h50, momento do acidente, a igreja estava bem abaixo de sua ocupação total. No horário, muitos dos fiéis que participaram do culto das 18h haviam deixado o local para dar lugar aos participantes do culto seguinte, marcado para 19h.

O presidente da Renascer em Cristo, bispo Geraldo Tenuta, afirmou que a sede da igreja não passou por nenhuma reforma nos últimos três anos. Há três meses, no entanto, parte do templo foi pintado. Para Tenuta, o prédio do Cambuci estava em perfeito estado de conservação.

Resgate

As buscas dentro do templo continuam porque os bombeiros suspeitam de que possa haver mais vítimas entre os destroços. Cães farejadores do Corpo de Bombeiros auxiliaram na procura no meio dos escombros.

De acordo com a assessoria de imprensa da Secretaria da Segurança Pública do Estado de São Paulo, os Bombeiros e a Polícia Civil devem ficar responsáveis para apurar as causas da tragédia, que ainda são desconhecidas. Logo após a queda do teto, vizinhos auxiliaram o resgate das vítimas.

Ao todo, cerca de 30 equipes do Corpo de Bombeiros e da PM foram até o local para prestar socorro. O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, acompanhou o trabalho de perto.

1.500 templos

A Igreja Renascer, considerada a segunda maior denominação neopentecostal brasileira, foi fundada em São Paulo em 1986, por Estevam Hernandes e Sonia Hernandes.

De acordo com informações da Agência Estado, a Renascer controla hoje uma rede de TV, uma gravadora, rede de rádio, uma editora e possui a Fundação Renascer, mantenedora de suas obras assistenciais.

Estima-se que haja cerca de 1.500 templos da Renascer espalhados por todo o Brasil e países como Argentina, Uruguai, Estados Unidos, Espanha, Japão, entre outros, somando mais de dois milhões de fiéis.

Acusações na Justiça

Estevam e sua mulher, Sonia, respondem a processo na 1ª Vara Criminal de São Paulo por lavagem de dinheiro em organização criminosa.

Os dois chegaram a ser presos em janeiro de 2007, após serem flagrados com dinheiro não declarado ao tentar entrar nos Estados Unidos. Parte do dinheiro estava escondida dentro de um fundo falso de uma Bíblia. Na Flórida, eles chegaram a ser presos depois de serem acusados e condenados. Atualmente, o casal cumpre regime de liberdade vigiada naquele país.

O governo brasileiro já pediu a extradição do casal, mas ainda não recebeu resposta do governo norte-americano. Os fundadores da Renascer também já recorreram ao STF para não serem extraditados para o Brasil, mas o habeas corpus também foi negado.

Fonte: g1, www.g1.com.br