9º Prêmio de Inclusão Social será no dia 21 de novembro

Amanhã termina o Prêmio Inclusão Social de 2013, com a divulgação de mais uma experiência que tem contribuído com desenvolvimento da comunidade do PI

Apoiar dando visibilidade a ações inovadoras e que contribuem para uma mudança social. É com este intuito que o prêmio Inclusão Social chega amanhã (31) ao fim de mais uma edição. Em 2013, o projeto, que completa 9 anos, está dando destaque a iniciativas que desenvolvem ações que proporcionem melhorias na vida da população jovem. Ao todo, 26 iniciativas, incluindo empresas, microempresas, cooperativas/associações, ONGs, cidadãos avulsos e empreendedores concorrem ao prêmio.

Durante quase 7 meses, sistematicamente às quintas-feiras, o Sistema Meio Norte de Comunicação midiatizou em seu Jornal, Rede de Televisão e o Portal Meio Norte reportagens sobre cada projeto que tem buscado modificar a vida daqueles que se encontram em situação de vulnerabilidade social.

Para o diretor de Jornalismo do Grupo Meio Norte, José Osmando de Araújo, o Inclusão Social trata-se do ?mais abrangente radar sobre iniciativas de ousadia, coragem, inventividade do piauiense, que a cada ano revela exemplos maravilhosos de afirmação e construção de um novo modelo de sociedade?.

Ele também destaca que o prêmio contribui para mostrar os exemplos positivos de trabalho e responsabilidade social. ?Estimulando mais pessoas a fazerem projetos que contribuam para a transformação social?, aponta José Osmando.

Neste ano, os vencedores da edição serão revelados em noite de entrega de prêmios, que ocontecerá no dia 21 de novembro, no auditório da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil). Assim como nas edições passadas, a transmissão terá cobertura ao vivo, pela TV, e online pelo portal.

O corpo de jurados a selecionar quais serão os projetos a levaram premiações é composto por 11 instituições governamentais e não-governamentais, dentre elas Universidade Federal do Piauí, Embrapa Meio Norte, SESI, DRT/PI, SINE, UESPI, SESC, SEST/SENAT, FIEPI, IFPI, sob a coordenação da Fundação CEPRO.

Fonte: Wherika Carvalho