96 detentas recebem certificados de cursos profissionalizantes

Um incentivo para adquirir uma renda fixa ao deixar a penitenciária

Na manhã da quinta-feira (11), 96 detentas da Penitenciária Feminina, localizada na zona Sul de Teresina, receberam certificados por formação de cursos profissionalizantes realizados pelo Programa Qualifica Piauí.

A iniciativa é da Secretaria da Justiça (Sejus) em parceria com Secretaria de Trabalho e Emprego do Estado (Setre), e tem como objetivo incentivar as detentas a se profissionalizarem em cursos de corte e costura e embelezamento.

Quem participou do curso de corte e costura do Qualifica Piauí foi a detenta Érika Carolina, que fala com felicidade sobre receber o seu primeiro certificado.

“É o meu primeiro certificado. Gostei muito porque aprendi a bordar e costurar, coisas que não sabia. É um benefício para quando sairmos daqui. Sabemos que quando sairmos daqui, conseguir emprego será difícil”, revela.

A diretora da Penitenciária Feminina, Socorro Gondinho, confirma a mudança em comportamento das detentas com os cursos. “Mudou em muitos aspectos, dentre eles a disciplina, o comportamento, o relacionamento entre elas e a responsabilidade em viver no coletivo. Tudo isso é observado pela equipe inteira”, destaca.

Para Gessivaldo Isaías, secretário da Setre, os cursos representam para as detentas uma perspectiva de adquirir uma renda fixa ao deixar a penitenciária.

“O programa Qualifica Piauí já ocorre em vários municípios do Estado. Desenvolvê-lo na Penitenciária Feminina possibilita uma nova chance às detentas. Para que elas, futuramente, voltem à sociedade com alguma ocupação e não pratiquem crimes”, explica.

De acordo com Daniel Oliveira, secretário de Justiça, os cursos têm obtido resultados esperados. “Estamos tendo os resultados efetivos. Aqui testemunhamos casos de pessoas que estão recebendo o primeiro certificado, é simbólico, mas representa muito para elas, além de ter oportunidade de melhorar de vida”, destaca Daniel Oliveira que revela que o próximo passo é expandir o Pronatec nas unidades penitenciárias.

Já o governador Wellington Dias fala que uma das obrigações do Estado é oferecer uma oportunidade de integrar a sociedade aos indivíduos que são sentenciados.

“Estamos tratando de forma humana toda a sociedade, inclusive as pessoas que são vítimas da sociedade. Quando temos a decretação de uma sentença, o Estado tem a obrigação não apenas de privar da liberdade, mas também de ressocializar. Fazer com que essa pessoa, ao retornar ao meio social, tenha mais oportunidades”, garante o governador.

Penitenciária masculina terá curso de pedreiro

O próximo passo do programa Qualifica Piauí é dar oportunidade de profissionalização também na Penitenciária Masculina, onde será promovido curso de pedreiro, com 45 vagas aos detentos.

"A previsão é que o programa seja aplicado também na Penitenciária Masculina, onde realizaremos o curso de pedreiro. A nossa intenção é dar oportunidade de profissionalização aos detentos do Estado", afirma o secretário da Setre, Gesivaldo Isaías.

Segundo Gessivaldo, o Qualifica Piauí alcançará o município de Picos, onde profissionalizará a família dos detentos.

"Uma inovação do programa é trabalhar com os familiares que estão de fora, precisando de qualificação profissional. Tudo isso vai favorecer o empreendedorismo para essa população", destaca.

Fonte: Virgínia Santos e Márcia Gabriele