A manifestação do artístico contemporâneo na Teresina 160 anos

Em defesa da divulgação da arte atual, os integrantes do Núcleo de Dirceu se lançam em ideias e projetos de um mundo globalizado.

Muitas das manifestações artísticas de Teresina hoje ainda são voltadas para reforçar os saberes já enraizados, o tradicional, o folclórico. No entanto, estudiosos da arte teresinense e piauiense e os artistas locais já enxergam uma Teresina que respira mudanças no que se refere às manifestações artísticas.

Nossa arte ganha ares mais conceituais, ou seja, a arte teresinense começa a considerar a ideia, o conceito por trás de uma obra artística como sendo superior ao próprio resultado final. Para mostrar essas mudanças, o JMN quis fazê-lo a partir do olhar de artistas e estudiosos da arte local.

?Temos muito essa coisa da arte voltada para o tradicional, mas nossos artistas já seguem o que vem sendo feito pelo Brasil, que é uma arte mais conceitual.

A tradição é importante e deve ser valorizada e para isso o Piauí tem representantes em todas as áreas. Mas essa mudança já começa a ser percebida e isso é positivo?, disse a professora do curso de Artes da Universidade Federal do Piauí e pesquisadora da arte local, Zozilena Froz.

Segundo Elielson Pacheco, que integra o Núcleo do Dirceu, a arte teresinense tem buscado conhecimento e tem crescido e se modernizado graças ao mundo globalizado, ao contato que os nossos artistas têm tido com tendências mundiais.

?A arte é campo de conhecimento, temos que conhecer o mundo, outros artistas, antropologia, sociologia, e na área da dança, coreografia. E esse entendimento começou com o núcleo do Dirceu, que há seis anos faz isso?.

O Núcleo do Dirceu existe desde 2006, atuando em diferentes linguagens das artes performáticas, reconhecido pela Associação de Críticos de Artes de São Paulo, em 2008, pela melhor ?Política Pública em Dança?, e em 2011, por ?Formação, Difusão, Produção e Criação em Dança?.

No campo da Literatura as mudanças também já podem ser percebidas, hoje, segundo Thiago, poeta da Academia Onírica e compositor, o maior desafio ainda é a divulgação dos trabalhos e para isso ele adianta que aqueles voltados para a Literatura tem se unido para que essa divulgação aconteça de forma mais rápida e eficaz.

?Eu acredito que a poesia, atualmente, em Teresina, passa por um momento coletivo, ou de grupos: autores que se juntam para trocar ideias sobre a linguagem poética e tentar divulgar melhor seu trabalho. Exemplificando isso, temos os grupos Academia Onírica, Amálgama (hoje, a revista on-line Desenredos), Sociedade dos Poetas Por Vir, Poetas do Piauí, etc?.

?Atualmente, esses coletivos artísticos produzem melhor seus eventos devido ao acesso às novas tecnologias de divulgação e registro dos encontros (celulares com máquinas fotográficas & câmeras de vídeo). Isso difere bastante ?minha geração? literária da anterior. Se procurarmos, não encontraremos muitos registros dos eventos produzidos pelos autores da geração Pós-69, por exemplo?, disse.



Fonte: Pollyanna Carvalho