Abertas inscrições para o projeto Corpo Inclusivo

O projeto visa atender pessoas com vários tipos de deficiência com oficinas

A tarde da última quinta-feira foi um marco na inclusão de pessoas com deficiência através da arte em Teresina. Numa solenidade no Palácio da Música em que a emoção tomou conta de autoridades, artistas e público, foi lançado o Projeto Corpo Inclusivo, uma iniciativa da Prefeitura de Teresina por meio da Fundação Municipal de Cultura Monsenhor Chaves. Na ocasião foram abertas as inscrições para o projeto.

O projeto visa atender pessoas com vários tipos de deficiência com oficinas de Dança Contemporânea, Dança de Salão, Teatro, Música, Artes Plásticas e outras atividades realizadas na Casa da Cultura e Palácio da Música. ?O objetivo é proporcionar a inclusão social através da arte?, explica a presidente da FCMC, Laurenice França.

A solenidade, que teve como mestre de cerimônias a cadeirante Carla Cleia, marcou ainda a abertura das inscrições para o Corpo Inclusivo, que são gratuitas, podendo ser realizadas na Casa da Cultura. De acordo com Luis Carlos Vale, um dos coordenadores do projeto, os horários e datas das aulas ainda não foram definidos, o que vai depender da demanda de interessados. Ele destaca ainda que as oficinas de artes plásticas, o material será fornecido pela FCMC.

Para a cadeirante e dançarina Merilane Dutra, o projeto abre um campo maior para outras pessoas vivenciarem novas experiências e quebrarem barreiras do preconceito, possibilitando a inclusão social dos portadores de qualquer deficiência. ?É uma oportunidade de fazer algo diferente. O projeto vai ajudar às pessoas a se inserirem, que foi o que aconteceu comigo. A dança pra mim é um modo de inclusão. Quando se dança, ninguém leva em conta a deficiência e naquele momento você é um dançarino e não um deficiente?, relata a artista, que apresentou um número de dança de salão com Luis Carlos Vale.

Durante a solenidade, nem mesmo o prefeito Elmano Ferrer conseguiu conter a emoção. Depois de um abraço no dançarino Robert- que mesmo sem as pernas deu um show de movimentos com o grupo Porfílio Cordão de Dança; o gestor destacou as ações realizadas em Teresina visando a inclusão social. ?Me sinto muito melhor depois de ver ações como esta. Durante o mês de aniversário [de Teresina], participamos de várias solenidade, de inaugurações e nem mesmo a entrega de uma escola é tão emocionante como ver esse tipo de apresentação. Um evento como esse toca o coração?, destaca.

Fonte: Liliane Pedrosa, Jornal Meio Norte