Achado corpo de 18º brasileiro vítima de terremoto no Haiti. Veja fotos da tragédia!

Achado corpo de 18º brasileiro vítima de terremoto no Haiti. Veja fotos da tragédia!

Além de 16 militares, também morreram no Haiti a fundadora da Pastoral da Criança, Zilda Arns

O corpo de mais um militar brasileiro foi encontrado no Haiti. Ao total, foram 16 militares e dois civis brasileiros mortos no terremoto que devastou o país do Caribe na semana passada. Segundo o Exército, a vítima foi identificada como o tenente-coronel Marcus Vinicius Macêdo Cysneiros.

A corporação afirma também que Cysneiros desempenhava a função de observador militar da Missão das Nações Unidas. No domingo, o Exército afirmou que foi encontrado o corpo do major Francisco Adolfo Vianna Martins Filho, que estava desaparecido desde o terremoto que atingiu o Haiti na última terça-feira.

Além de 16 militares, também morreram no Haiti a fundadora da Pastoral da Criança, Zilda Arns, e Luís Carlos da Costa, segunda maior autoridade civil da Organização das Nações Unidas (ONU) no Haiti.

Terremoto

Um terremoto de magnitude 7 na escala Richter atingiu o Haiti nessa terça-feira, às 16h53 no horário local (19h53 em Brasília). Com epicentro a 15 km da capital, Porto Príncipe, segundo o Serviço Geológico Norte-Americano, o terremoto é considerado pelo órgão o mais forte a atingir o país nos últimos 200 anos.

Dezenas de prédios da capital caíram e deixaram moradores sob escombros. Importantes edificações foram atingidas, como prédios das Nações Unidas e do governo do país. Estimativas mais recentes do governo haitiano falam em mais de 200 mil mortos e 50 mil corpos já enterrados. O Haiti é o país mais pobre do continente americano.

O Brasil no Haiti

O Brasil chefia a missão de paz da ONU no país (Missão das Nações Unidas para a Estabilização no Haiti, ou Minustah, na sigla em francês), que conta com cerca de 7 mil integrantes. Segundo o Ministério da Defesa, 1.266 militares brasileiros servem na força. Ao todo, são 1.310 brasileiros no Haiti.

A missão de paz foi criada em 2004, depois que o então presidente Jean-Bertrand Aristide foi deposto durante uma rebelião. Além do prédio da ONU, o prédio da Embaixada Brasileira em Porto Príncipe também ficou danificado, mas segundo o governo, não há vítimas entre os funcionários brasileiros.















































Fonte: Terra, www.terra.com.br