"Achei que iria pro caixão", diz mulher que pulou de prédio

"Achei que iria pro caixão", diz mulher que pulou de prédio

Rosemeri Ferreira havia acabado de chegar da Itália, onde mora há 20 anos.

A mulher que escapou de um incêndio em um prédio de Copacabana, na Zona Sul do Rio, na quarta-feira (5), afirmou que pensou que iria "para o caixão", ao ver as chamas chegando ao apartamento onde estava, no segundo andar. Rosemeri Ferreira, de 39 anos, pulou a janela do imóvel com a ajuda do marido, o italiano Forte Mauro, de 52 anos, e conseguiu se salvar. Os porteiros do edifício foram os "heróis" da história, com ela definiu, ao usarem uma mangueira para apagar as chamas.

O incêndio destruiu um apartamento no primeiro andar do prédio, na Avenida Nossa Senhora de Copacabana. A fumaça tomou conta do corredor do edifício, razão pela qual Rosemeri precisou descer pela janela. Após ajudar a mulher, Mauro permaneceu no apartamento. No entanto, ele não sofreu ferimentos, e o imóvel não foi danificado. "Se não fosse por eles [os porteiros] com a mangueira e demorasse mais 2 minutos... Achei que iria para o caixão", disse a mulher.

A carioca vive em Monza, na Itália, há 20 anos, e havia recém-chegado ao apartamento, que pertence a uma amiga do casal, quando o fogo começou. "A gente tinha acabado de chegar. Entramos no apartamento e sentimos cheiro de queimado, mas achamos que fosse da rua. Só quando olhamos pela janela, vimos o fogo", contou Rosemeri.

Ao perceberem o incêndio, os porteiros Cristiano Mendes e Marcos Antônio de Oliveira puxaram a mangueira do prédio e tentaram controlar o fogo, com a ajuda de um terceiro homem que passava pela rua.

"A gente tentou subir pela escada, mas tinha muita fumaça. Aí a gente puxou [a mangueira] para fora do prédio e tentou apagar [as chamas]", relatou Marcos Antônio.

Testemunhas disseram que os bombeiros chegaram em 10 minutos, mas o fogo já havia sido controlado. Uma perícia foi feita no local, mas a causa do incêndio não foi informada.

Bituca de cigarro

Um morador do edifício, que não quis se identificar, revelou que já viu cigarros sendo jogados pelas janelas de apartamentos acima do seu. Ele destacou que não sabe o que provocou o fogo, mas acredita que a queda de uma bituca possa ter iniciado o acidente.

"Se a janela está aberta, pode pegar na cama ou na cortina. É muito perigoso", afirmou.



Fonte: G1