PI: Acidentes causam perdas de R$ 720 milhões ao Estado

Prejuízos vêm da recuperação dos carros e de vias públicas

Os acidentes com veículos causam a cada ano, apenas no Piauí, perdas de pelo menos R$ 720 milhões. O número é uma projeção de pesquisa realizada pelo Governo do Estado, através da Fundação Cepro e Coordenadoria de Comunicação (CCom). Somente as perdas com tratamento de saúde, os acidentes geram um impacto econômico superior a R$ 155 milhões.

Em uma primeira pesquisa, em 2011, tomando os dados consolidados do ano anterior, a soma dos prejuízos chegaram a R$ 510 milhões, onde quase R$ 110 eram gastos com tratamento de saúde dos acidentados. Desde então, a frota piauiense de veículos aumentou cerca der 41%, elevando o número de acidentes e os prejuízos.

A projeção é que em 2013 os prejuízos tenham superado os R$ 720 milhões. As perdas podem ser ainda maiores, tendo em conta a maior presença de motos, responsáveis pela maior evolução e gravidade dos acidentes.

O cálculo é feito utilizando-se uma metodologia do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), que aqui no Piauí usa os indicadores do Detran. Para chegar a esses números, a metodologia inclui diversos tipos de perdas econômicas provocadas pelos acidentes.

Por exemplo, os gastos com recuperação dos carros, de vias públicas e até a falta ao trabalho, que implica em menor produtividade. Há ainda os gastos com o tratamento de saúde, que é superior a 20% dos gastos totais, referente a procedimentos como hospitalização, cirurgias, remédios e fisioterapia.

Os números alertam para a gravidade do trânsito brasileiro, que vem gerando cada vez mais acidentes e gerando danos de todo tipo, desde morte (mais de 41 mil no Brasil, no ano passado) até invalidez permanente, passando por perdas de habilidades específicas e incapacidade temporária.

Conforme o diretor do Detran-Piauí, Antônio Vasconcelos, o uso abusivo dos veículos é a principal causa dos acidentes, sobretudo a trágica união de álcool com direção. ?Há aquele velho ditado que diz: não faça de seu carro uma arma. O que a gente está vendo é que muitos, ao beberem e dirigirem, estão colocando essa arma contra a própria cabeça?, diz.

Perdas com tratamento de saúde são de R$ 155 mi

É nos hospitais onde se percebe de forma mais gritante as consequências nefastas do uso indevido de veículos, em especial as motos. Hoje, quase 90% dos atendimentos de emergência em hospitais como o HUT, estão relacionados com acidentes de veículos, quase todos ligados à união entre álcool e direção. Mais de dois terços dos acidentes envolvem motos.

O custo no estado do Piauí com tratamento de saúde de pessoas acidentadas, em 2013, foi estimado em cerca de R$ 155 milhões. "É um gasto absurdo, que compromete todo o sistema de saúde", diz o Secretário de Saúde do Piauí, Ernani Maia. No início do ano ele chegou a dizer que ou essa situação muda ou o sistema de saúde entra em colapso.

"Todo esse dinheiro poderia estar sendo destinado em outras atividades de saúde", diz Ernani. Mas ele considera mais grave, mesmo, é o prejuízo humano. "Todos os finais de semana temos jovens perdendo a vida ou ficando incapazes para diversas atividades. E esse tipo de prejuízo é incalculável", destaca.

Desde janeiro, o governo do estado intensificou as blitz em Teresina e cidades do interior. Curioso é que esse tipo de ação gera reação negativa da população e até de autoridades. Apesar da chiadeira, com as blitz os casos de emergência registraram quedas de até 30%.

Fonte: Efrem Ribeiro