Ações de combate ao Aedes aegypti iniciam na próxima semana

O Plano de Ações já está no estágio final de formatação

O prefeito Firmino Filho se reuniu com técnicos da Fundação Municipal de Saúde (FMS) e das Superintendências de Desenvolvimento Urbano (SDUs) para dar prosseguimento à formatação do Plano de Ação Emergencial e Intersetorial de combate ao mosquito Aedes aegypti e as ocorrências relacionadas ao vetor.

O Plano de Ações já está no estágio final de formatação e as ações já começam a ser implementadas na próxima semana. “Estamos nos ajustes finais desse Plano que visa a realização de atitudes imediatas no enfrentamento da proliferação do Aedes aegypti, mosquito transmissor de uma série de doenças, em especial a Dengue e a Zika, que tem resultado em complicações sérias para a saúde das pessoas.  Temos que focar no problema e realizar ações inovadoras que nos tragam resultados positivos”, destacou o prefeito.

O Plano de Ações está divido em diversos eixos que inclui mobilização e controle do Aedes aegypti, limpeza, comunicação e marketing, recursos humanos, capacitação, vigilância epidemiológica, entre outros.

“Iremos realizar um grande trabalho de mobilização na cidade para que todas as pessoas se conscientizem que o combate ao mosquito deve acontecer todo dia e que depende de ações coletivas, com a participação de todos os cidadãos. As secretarias municipais estarão todas engajadas nesse luta para que possamos manter nossa cidade limpa e saudável”, afirmou o presidente da FMS, Francisco Pádua.

Esse é o terceiro encontro de planejamento realizado pelo prefeito com a equipe técnica municipal para o delineamento do Plano de Ações. “Por se tratar de um problema de saúde pública temos que ter todo o cuidado no planejamento das ações. Estamos terminando de ajustar as ações que serão realizadas de forma imediata na cidade e nos próximos dias iremos queremos contar com todos os teresinenses para que possamos vencer essa luta contra o Aedes aegypti”, enfatizou Firmino Filho.

As viroses transmitidas pelo Aedes aegypti são doenças sem tratamento específico: seu manejo é realizado apenas por meio da administração de medicamentos sintomáticos e hidratação. Por este motivo, o foco principal do combate está em evitar que elas ocorram. “O controle ao vetor representa a única forma de prevenção contra a dengue, zika e chikungunya”, afirma a diretora de Vigilância em Saúde da FMS, Amariles Borba. “E, nesta guerra, a principal tecnologia é o cidadão. Devemos nos unir, fazer, e cobrar quem deve fazer, só assim conseguiremos reduzir os casos das doenças, daí a importância desse Plano de Ações”, completa a médica.

Fonte: Com informações do Prefeitura de Teresina