Agentes de endemias dão orientações sobre combate ao Aedes aegypti

Viroses transmitidas por Aedes aegypti: sem tratamento específico.

Combater o mosquito Aedes aegypti, causador da Dengue, Chikungunya e Zika, é um dever de todos e a Fundação Municipal de Saúde (FMS) tem conclamado os teresinenses a participarem dessa batalha. Na próxima quarta-feira (16), a partir das 9h, a equipe de Educação em Saúde da FMS irá até a Escola Elias Ximenes do Prado Júnior, zona Norte. Na ocasião, agentes de endemias irão fazer o reconhecimento de possíveis criadouros de mosquito para que os alunos e toda a comunidade escolar fiquem atentos para prevenir a proliferação do vetor transmissor de doenças.

“Estamos intensificando ainda mais nosso trabalho de educação em saúde junto à comunidade. Temos que prevenir os possíveis criadouros do mosquito. Os alunos, pais e direção escolar serão nossos parceiros, sendo multiplicadores das informações junto aos locais onde vivem”, falou a chefe do Núcleo de Educação em Saúde da FMS, Júlia Santos Rocha.

As viroses transmitidas pelo Aedes aegypti são doenças sem tratamento específico: seu manejo é realizado apenas por meio da administração de medicamentos sintomáticos e hidratação. Por este motivo, o foco principal do combate está em evitar que elas ocorram.

O prefeito Firmino Filho se reuniu na tarde de sábado (12) com técnicos da FMS e das Superintendências de Desenvolvimento Urbano (SDUs) para dá prosseguimento à formatação do Plano de Ação Emergencial e Intersetorial de combate ao mosquito Aedes aegypti e as ocorrências relacionadas ao vetor. O Plano de Ações já está no estágio final de formatação e as ações já começam a ser implementadas ao final desta semana.

“O controle ao vetor representa a única forma de prevenção contra a Dengue, Zika e Chikungunya”, afirma a diretora de Vigilância em Saúde da FMS, Amariles Borba. “E, nesta guerra, a principal tecnologia é o cidadão. Devemos nos unir, fazer, e cobrar quem deve fazer, só assim conseguiremos reduzir os casos das doenças, daí a importância desse Plano de Ações”, afirma Amariles Borba, diretora de vigilância em saúde da FMS.

A Fundação Municipal de Saúde notificou, até o dia 11 de dezembro, 4.541 casos confirmados de Dengue em Teresina. Os gestores em saúde alertam todas as comunidades escolares para continuarem o trabalho rotineiro de combate à proliferação do mosquito Aedes aegypti, mesmo quando o período letivo acabar e as escolas ficarem com pouco fluxo de pessoas diariamente.

“Queremos alertar os diretores e funcionários das escolas públicas e privadas para que continuem o trabalho de limpeza de toda a dependência escolar, mesmo na época das férias, pois o mosquito se reproduz muito rápido em água menos suja, ou seja, não precisa estar limpa para proliferar”, lembra Amariles Borba. Ela fala ainda que os vasos sanitários não utilizados devem ser hermeticamente fechados, assim como ralos. “As calhas dos telhados devem ser verificadas com frequência, assim como as caixas d’água. O lixo não deve acumular, pois qualquer tampa de garrafa pode acumular água e ser criadouro de mosquito”, diz.

Fonte: Com informações da Assessoria