Pai de rapaz morto no Carnaval recebe pedido de desculpas e diz: "Agora?"

Jefferson da Paz Costa, de 22 anos foi morto na madrugada desta segunda-feira ao ser confundido com um bandido por um agente penitenciário.

O pedido de desculpa feito pela Polícia Militar não foi bem aceito pela família do técnico em informática Jefferson da Paz Costa, de 22 anos, morto na madrugada desta segunda-feira ao ser confundido com um bandido por um agente penitenciário. No dia seguinte à morte, a PM divulgou nota acusando, equivocadamente, Jefferson de ter tentado roubar uma moto antes de morrer. Na noite desta sexta, a PM enviou nota pedindo desculpa à família dele, pelo erro.


?Agora vieram pedir desculpa??, questiona pai de jovem morto

? Agora vieram pedir desculpa? Desculpa não vai tirar a raiva que ficamos por tratarem meu filho como criminoso! ? protestou Alberto Paz, pai do jovem, que ficou sabendo da nota da PM durante o velório do filho, enterrado na terça-feira no Cemitério de Inhaúma.

Na Rua André Pinto, em Ramos, em frente ao valão onde o jovem foi morto, mais de cem pessoas fizeram um protesto, no fim da tarde de sexta-feira. Vizinhos e amigos deixaram flores e colocaram cartazes de luto e pedindo por justiça. ?Aqui, mataram um inocente?, dizia uma faixa, colocada no muro em frente ao valão. Os pais de Jefferson só não participaram do protesto porque estavam prestando novo depoimento na Divisão de Homicídios (DH), na Barra.

Com uma faixa de luto no braço direito, a auxiliar de cabeleireiro Marcela Teixeira Oliveira, de 24 anos, deixou uma flor num memorial em frente ao valão. Ele era vizinha de Jefferson.

? Ele era estudioso e trabalhador. E morreu como se fosse um bandido. É um pedido por justiça ? disse.

A corretora Luciana Sleman, de 42 anos, uma das organizadoras do protesto, disse que a manifestação era uma forma de prestar solidariedade para Sebastiana Eloísa da Paz Costa, mãe de Jefferson, que enterrou o filho após saber que ele era tratado como bandido pela Polícia Militar.~

? Queremos confortar o coração de uma mãe que perdeu o único filho. E deixar bem claro que ele era um inocente, confundido com um bandido ? argumentou.

Fonte: Extra