"Ainda não saí de casa sozinho", diz em vídeo jovem gay agredido

André ficou com o rosto desfigurado após ser agredido por dois fisiculturistas

O estudante de Direito André Cardoso Gomes, agredido por dois fisiculturistas na segunda-feira em Pinheiros, zona oeste de São Paulo, publicou um vídeo no Youtube desabafando sobre a violência que sofreu pelo fato de ser homossexual. Ele revelou que continua com medo das ruas: "ainda não saí de casa sozinho".



"Eu não quero ter que apanhar outra vez. Eu não quero ter que fingir ser quem eu não sou para voltar pra casa com segurança", disse. André ficou com o rosto desfigurado depois da briga. Os agressores atravessavam a avenida em um carro e teriam provocado o rapaz, que respondeu. Policiais Militares que estavam pela região chegaram e tiveram que algemar um dos agressores para por fim ao ataque.

Um dos agressores tinha mais de 1,9 m de altura e o segundo é proprietário de uma loja que vende suplimentos para atletas. Um deles disse que a confusão com uma briga de trânsito. "O cidadão (André) fez algumas ofensas à minha pessoa e a do meu amigo, e nesse momento a gente agrediu sem mais nem menos, e foi uma agressão normal como acontece no trânsito de São Paulo".

No vídeo da internet, André disse que foi vítima de uma tentativa de homicídio e agora está sendo vítima de "absurdos". "Os caras estão começando a criar factoides, talvez numa tentativa de se livrar do que aconteceu (...). Eu quero deixar bem claro porque tudo começou porque o cara mais alto, o Bruno, começou me ofendendo, sim, contra minha orientação sexual e tudo acabou como acabou. Aí eles dizem que não tem como saber que eu sou gay. Mas tem sim, porque eu não escondo".

O estudante ainda agradeceu três testemunhas que ficaram a madrugada inteira na delegacia com ele e pediu par que se acabe com a impunidade no País. "Eles bateram num cara que faz trabalho voluntário, que pinta a cara para pedir dinheiro na rua para construir casa pra quem não tem onde viver."

Fonte: Terra