Aluna de Nutrição da UFPI vence prêmio nacional

A aluna de Nutrição, Mariana Séfora, sob a orientação da Profa. Dra. Dilina Marreiro, ficou em 1° lugar no Prêmio Henri Nestlé.

O trabalho "Zinco plasmático e eritrocitário: novos biomarcadores do prognóstico do câncer de mama?", desenvolvido durante o programa de Iniciação Científica da UFPI, foi eleito o melhor trabalho na área de Nutrição Clínica. A pesquisa investigou o comportamento metabólico do zinco no câncer de mama.

A aluna de Nutrição, Mariana Séfora, sob a orientação da Profa. Dra. Dilina Marreiro, ficou em 1° lugar no Prêmio Henri Nestlé. O Prêmio Henri Nestlé é uma iniciativa da Nestlé Brasil Ltda. e recebe o apoio da Associação Brasileira de Nutrologia e Sociedade Brasileira de Alimentação e Nutrição. A concessão do Prêmio visa incentivar a produção de pesquisa científica no Brasil, nas áreas de Alimentos, Nutrição, Saúde e Bem-Estar, desenvolvida por profissionais e estudantes. A premiação aconteceu na sede da Nestlé, em São Paulo-SP.

"O zinco participa da atividade de enzimas envolvidas na síntese de DNA e RNA, como fator de transcrição nuclear e parece possuir um efeito inibitório sobre o crescimento de células neoplásicas. Associado a isso, a deficiência deste mineral está relacionada a danos e modificações oxidativas do DNA, favorecendo o risco de câncer. Por outro lado, em pacientes com câncer já instalado, parecem existir alterações no metabolismo de zinco, com aumento de suas concentrações nas células malignas, favorecendo o crescimento do tumor. Os resultados do presente estudo indicam que mulheres pré-menopáusicas com câncer de mama apresentam menor concentração de zinco no compartimento eritrocitário, o que pode constituí-lo como um novo biomarcador prognóstico e alvo terapêutico do câncer de mama" afirma Mariana Séfora.

"Devo confessar que foi um orgulho imenso representar a Universidade Federal do Piauí em um evento nacional tão importante. Que a premiação sirva de estímulo para o desenvolvimento de novas pesquisas."

Fonte: UFPI