Alunos sofrem com problemas de transporte em campi da Uespi no interior

Candidato a reitor, defende que a instituição assuma a responsabilidade sobre o transporte de alunos que moram longe

Em visita aos campi da Universidade Estadual do Piauí (Uespi) de Oeiras, São Raimundo Nonato, Bom Jesus e Corrente, localizados no Sul do Estado, o candidato a reitor pela Chapa 22 ?Nossa Uespi, Antônio Honório, conheceu a situação de alunos, servidores e professores e apresentou propostas focadas na melhoria da instituição situada nesses municípios.


Alunos sofrem com problemas de transporte em campi da Uespi no interior

Em Bom Jesus, as queixas mais recorrentes foram a respeito do transporte de alunos que moram em cidades vizinhas. A estudante de Pedagogia, Adelozi Jussara Fernandes, que mora em Redenção de Gurguéia, freta junto com um grupo de 12 alunos um transporte alternativo para ir às aulas diariamente no campus de Bom Jesus, distante 80 quilômetros de sua cidade. Os custos das viagens para o grupo são de R$ 300 por semana e os alunos de baixa renda já não conseguem mais pagar.

?A partir da próxima semana não teremos como pagar o transporte e única solução para o momento é trancar nossos cursos. Não é possível fazer uma mudança para Bom Jesus e gostaríamos que a Universidade nos desse um apoio nesse sentido. Muitas vezes gastamos o nosso dinheiro e descobrimos ao chegar que não vai haver aula, o que nos entristece mais?, lamentou a estudante Adelozi Fernandes.

Outra situação percebida em Bom Jesus é a ausência de pontos de alimentação, lanchonetes e restaurantes no campus da Uespi ou nas proximidades, o que agrava a situação dos estudantes de outras cidades. Em São Raimundo Nonato, a situação relatada ao professor Antônio Honório foi relacionada ao transporte de propriedade da Uespi. Com muita frequência os estudantes do campus de São Raimundo Nonato necessitam fazer viagens para congressos e eventos relevantes à área de estudos.

?Recebemos a denúncia de que quando os alunos precisam viajar e solicitam o transporte à Universidade, a instituição libera apenas o veículo, o motorista e o combustível ficam por conta dos alunos, o que é inadmissível para a instituição. Nós iremos averiguar o por quê disso estar acontecendo?, comentou o candidato.

O professor Antônio Honório também defende que a Universidade Estadual do Piauí assuma a responsabilidade sobre o transporte de alunos que moram em cidades diferentes das sedes dos campi e se comprometeu a mobilizar prefeituras e Governo para discutir o benefício do transporte. ?Aproximadamente 80% dos alunos matriculados no interior vivem em outras cidades e não possuem condições de se mudar ou pagar um transporte de alto custo. A Universidade tem o papel de assistir seus alunos neste aspecto?, argumentou.

Fonte: Ascom