Animais do Parque Zoobotânico sofrem os efeitos das altas temperaturas registradas no Piauí

Animais do Parque Zoobotânico sofrem os efeitos das altas temperaturas registradas no Piauí

Por causa disso, as jaulas precisam ser constantemente resfriadas.

Assim como nós, os animais do Parque Zoobotânico já sofrem os efeitos das altas temperaturas registradas no Piauí.

Por causa disso, as jaulas precisam ser constantemente resfriadas. Até a alimentação sofre algumas modificações para se adequar ao período mais quente.

O coordenador do Parque, José Renato Uchoa, disse que um sistema de resfriamento é utilizado para criar um ambiente chuvoso, o que reduz a temperatura dos recintos em até três graus. ?Quem mais sofre é o urso, tanto por causa da idade que possui, quanto pelo tamanho?, disse Uchoa.

Para o diretor Benedito de Carvalho, a situação torna-se mais grave devido a baixa umidade relativa do ar, que favorece o ressecamento das mucosas e da garganta dos animais. ?A maioria das espécies que temos aqui são da África e da Ásia. E lá, embora seja quente durante o dia, é mais frio à noite?, explica o diretor.

Ainda não houve registro de morte provocada pelas altas temperaturas, mas o biólogo Celso Mendes percebe que os animais ficam mais estressados, inquietos e se alimentam em menor quantidade. ?Todos os dias jogamos água nos recintos para que as gotículas se dispersem, provocando resfriamento e aumentando a umidade relativa do ar?, afirma Mendes.

Quanto à alimentação os cuidados também precisam ser redobrados. Para os grandes felinos, a carne vermelha é substituída pela carne branca. E para aqueles que se alimentam de frutas, a prioridade é dos vegetais com maior quantidade de água, como a melancia.











Fonte: Nayara Felizardo