Apipa: Denúncias de maus-tratos a animais aumentam

Apipa: Denúncias de maus-tratos a animais aumentam

Apipa: Denúncias de maus-tratos a animais aumentam

?Ei, pessoal! Tem um cachorrinho abandonado aqui na minha esquina?. ?Atenção, meu vizinho está

maltratando o cãozinho dele!?. ?Tem um gatinho sofrendo violência aqui na minha rua?. Recados como esses não param de chegar ao perfil do Facebook mant ido pela Associação Piauiense de Proteção e Amor aos Animais (Apipa), entidade que há quatro anos vem atuando no combate à violência e abandono de animais domésticos.

E o trabalho aumentou bastante nos últimos tempos. ?Só não recebemos mais animais porque não temos mais espaço. Mas as chamadas realmente aumentaram bastante. São casos de abandono, cachorros perdidos e todo tipo de maus-tratos?, esclarece a tesoureira e coordenadora do lar de animais da Apipa, Isabel Moura.

Quem chega à nova sede da Apipa, localizada na Rua Trinta e Oito, 1041 - Loteamento Vila Uruguai - Bairro Uruguai, zona Leste de Teresina, é logo recepcionado pela gata Valentina. Manhosa, ela faz graça com quem chega e logo pede carinho. Atualmente, a sede da associação tem cerca de 80 cães e mais de 300 gatos, que recebem os cuidados da equipe de voluntários e esperam pela possibilidade de adoção.

A vontade dos animais de receber um carinho especial é vista no olhar de cada um deles. O cachorro Pintado, que chegou à Apipa bastante debilitado, é um bom exemplo disso. Extremamente dócil, o cão interage bem com quem visita o abrigo em que ele encontra-se. Dá a pata, brinca, se alegra. Pintado recebeu esse nome por ser ?parente? da raça dálmata, que tem as manchas características no pelo.

O vira-latas Chico parece ser elétrico. Dono de uma energia e vigor contagiantes , ele nem mesmo

lembra o cãozinho que chegou maltratado até a Apipa. Chico ficou muito animado ao ver a equipe de reportagem do JMN, mostrando que quem o adotar terá um cachorro bastante brincalhão. Já a cadela Juma (sem raça definida, que foi encontrada bastante ferida em Esperantina-PI) e o cão Majó, que foi encontrado na região do Dirceu, são bem mais calmos.

Fonte: Dowglas Lima, Jornal Meio Norte