Após chuvas intensas e 79 mortes, novo deslizamento atinge Niterói

A Defesa Civil do Rio de Janeiro registrou um deslizamento de grandes proporções no bairro Cubando, em Niterói

De acordo com os bombeiros, moradores informaram que a queda de um barranco atingiu entre 15 a 50 casas na localidade. Não há informações sobre mortos ou feridos, mas a estimativa inicial era que cerca de 60 pessoas estavam no local na hora do acidente.

Três unidades dos bombeiros foram deslocadas para a região, e novos militares se dirigiam para o local por volta das 22h.

Em todo o Estado já foram confirmadas 145 até as 22h desta terça-feira, número que deve subir em razão do novo deslizamento em Niterói. A tragédia no Rio já supera a ocorrida em Santa Catarina, em novembro de 2008, quando morreram 135 pessoas por causa dos temporais.

A maioria dos óbitos, no Rio, foi causada por deslizamentos de terra ou desabamentos, segundo informações da Defesa Civil do Estado.

Segundo a Defesa Civil, os municípios mais afetados pelo mau tempo foram Rio de Janeiro e Niterói, com 46 e 79 mortes, respectivamente. Os municípios de São Gonçalo (16), Nilópolis (1), Petrópolis (1) Paulo de Frontin (1) e Magé (1) também contabilizam mortes.

Um levantamento feito pelos bombeiros aponta que, ao menos, 140 pessoas ficaram feridas no Estado do Rio em decorrência das chuvas. Em relação ao número de desaparecidos, a corporação informa que o número muda rapidamente. O último balanço realizado aponta 40 desaparecidos em Niterói e 16 no Rio.

Na capital fluminense, as mortes foram registradas em Santa Tereza/Morro dos Prazeres (15), Morro dos Macacos (5), Morro do Turano (5), Comunidade Santa Maria/Taquara (5), Santa Tereza/Morro das Oliveiras (4), Morro do Borel/Tijuca (3), Ladeira dos Guararapes/Cosme Velho (2), Andaraí (1), Recreio (1), Humaitá (1), Cascatinha (1), Ilha do Governador (1) e Rocinha (1). A Defesa Civil ainda não informou a região onde aconteceu a 76ª morte na capital.

Histórico

A chuva está sendo considerada a mais intensa já registrada na cidade nas últimas décadas. Muitas pessoas não conseguiram retornar para suas casas na segunda-feira, pois o transporte público foi afetado devido a áreas de alagamento registradas em diversas partes da capital e região metropolitana.

Em menos de 24 horas choveu em média 288 milímetros na cidade, segundo a Prefeitura do Rio.

Fonte: Último Segundo