Após cirurgia para retirada de quatro agulhas, menino de 2 anos passa bem

Segundo médicos, nova cirurgia será realizada na próxima semana

O menino de 2 anos que está internado em um hospital em Salvador, com agulhas pelo corpo, deixou de ter febre e o quadro dele é estável. De acordo com Roque Aras, diretor-médico do hospital, a criança está lúcida e vai se alimentar ainda neste sábado (19). “Ela respira sem ajuda de aparelhos e tem boa oxigenação. A evolução é muito favorável, o que é importantíssimo pra gente”, disse.

A equipe médica retirou, na sexta-feira (18), quatro agulhas do corpo do menino de 2 anos, após cerca de cinco horas de cirurgia realizada em um hospital em Salvador (BA). O procedimento foi considerado bem-sucedido. Foram retiradas duas agulhas que perfuraram o pulmão esquerdo e outras duas que ameaçavam o coração do menino.

A operação começou por volta de 15h (horário local) e terminou por volta de 20h, informou a assessoria do complexo hospitalar. Aras informou que, além da retirada das quatro agulhas do corpo do menino, foi feita uma correção da válvula mitral, atingida por uma das agulhas que ameaçavam o coração.

Segundo ele, o menino ainda tem infecção, que está sendo controlada com antibióticos. A próxima cirurgia deve ser realizada na segunda (21) ou terça-feira (22) para retirar agulhas que estão na bexiga e intestino.

De acordo com Aras, o hospital é bem preparado para cirurgias mais complexas que a realizada na criança e, pelo aspecto técnico da operação, não houve problema nenhum. “Quando a gente se prepara para surpresas elas deixam de existir”, diz. A equipe médica teve que abrir o tórax da criança, para trabalhar num pulmão e no coração. O sangue foi bombeado com a ajuda de aparelhos.

Pinças foram usadas para retirar as agulhas que comprometiam órgãos vitais. Cinco médicos, ente cirurgiões, cardiologista e pediatras participaram do procedimento cirúrgico. Parte da equipe médica que operou a criança disse que as agulhas estavam oxidadas e ofereciam risco de infecção para o organismo do menino. A criança está na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) pediátrica.

Fonte: g1, www.g1.com.br