Após passar por reforma, Parque Zoobotânico reabre nesta quinta-feira em Teresina

Após passar por reforma, Parque Zoobotânico reabre nesta quinta-feira em Teresina

O local foi fechado para passar por reforma, com readequação de passarelas, adaptação de viveiros e reestruturação de logradouros dos animais. Intervenção no Parque Zoobotânico foi a maior

O Parque Zoobotânico, localizado na zona Leste de Teresina, reabre hoje após uma grande reforma, que inclui a readequação de passarelas, adaptação de viveiros e reestruturação de logradouros dos animais.

O local estava fechado em razão do protocolo de segurança, pois em razão da reforma houve a necessidade de remanejar animais de alto risco, o que impossibilita que o local esteja aberto para os visitantes. As obras do Parque Zoobotânico aconteceram por meio de uma compensação ambiental entre a empresa responsável pela reforma e o parque.

Para abrir o Zoobotânico hoje, a equipe de funcionários do local trabalhou intensamente para que a reabertura não atrasasse, visto que as férias escolares estão chegando e a visitação aumenta neste período do ano.

“Foi feito um mutirão e abriremos hoje. Fechamos o Parque porque fizemos o deslocamento de onças, por exemplo, que são animais perigosos. Nunca aconteceu um acidente porque temos esse cuidado sempre”, declara José Renato Uchôa, coordenador geral do parque.

Essas intervenções realizadas no Parque Zoobotânico foram as maiores por que o parque já passou. “Nos 10 anos que tivemos aqui, nunca havíamos feito uma estrutura igual a essa.

É a maior intervenção feita no Parque. Construímos uma área de cambiamento com maternidade e também para animais doentes, principalmente cervídeos [veados]. Também foi construído um setor extra, 25 recintos e o ambulatório foi completamente reformado”, explica Uchôa.

A reforma está quase que inteiramente concluída, o que falta são apenas os acabamentos e alguns viveiros. “Até o final de dezembro faremos os recintos de aves, e isso não tem perigo de ocorrer enquanto houver visitação. Como estávamos agilizando a reforma, a gente ainda não concluiu a pintura porque a tinta é prejudicial aos animais”, pontua José Renato.

Com a reforma também foi construído um espaço especial para os novos animais que chegam ao zoológico. “O setor extra funciona para acomodar determinados animais que chegam ao zoológico e precisam passar por um período de observação, com todo o atendimento necessário.

Após esse período, os animais são encaminhados para os recintos destinados a eles. É como se fosse uma pousada”, afirma o coordenador geral do Zoobotânico.

O Parque Zoobotânico deve ter a reforma finalizada antes do final do ano, pois além da pintura também faltam ajustes em alguns viveiros de animais: “Até o final do ano vamos fazer intervenções finais em cinco recintos, mas alguns já estão prontos.

Já fechamos o segundo, que é o das araras, que fica próximo à administração, e agora vamos ao terceiro. Em breve, o nosso parque estará todo pronto e para atender o visitante como ele merece”, diz José Renato Uchôa.

Trilhas acessíveis para deficientes físicos

Antes da reforma, as trilhas do Parque Zoobotânico eram bastante deficitárias para pessoas com algum tipo de deficiência motora. Isso porque os caminhos eram de areia e vegetação, o que dificultava o deslocamento, principalmente nos dias de chuva por causa da lama. Agora foram construídas passarelas de pedra e concreto para que todos possam visitar o parque com segurança e tranquilidade.

As novas passarelas possibilitam que deficientes físicos tenham acesso ao parque da portaria até os viveiros: "Nós tínhamos um grande problema aqui no parque, porque andar aqui no inverno era um problema.

Era um absurdo aqui, que é uma área pública, não ter acessibilidade. Hoje nós temos uma trilha maravilhosa e inteiramente adequada para acessibilidade, da portaria até os recintos dos animais", afirma José Renato Uchôa, coordenador geral do Parque Zoobotânico.

Primatas são a grande novidade do Parque

O Parque Zoobotânico agora conta com três novas espécies de primatas, todas advindas da floresta amazônica. O zoológico recebeu um macaco-aranha (Ateles chamek), dois macacos-da-noite (Aotus trivirgatus) e três macacos- barrigudos (Lagotrix lagothricha).

Com os novos animais, os teresinenses terão a oportunidade de conhecer novas espécimes que compõem a nossa fauna.

O macaco-aranha é um hábil acrobata e utiliza a cauda como se fosse um quinto membro para fazer saltos de um lado para o outro dos galhos presentes em seu recinto.

Os macacos-barrigudos, por sua vez, são bastante dóceis, por isso possuem um relacionamento bastante próximo dos índios que habitam as florestas amazônicas. Em razão de serem mansos, correm risco de extinção. O macaco-da-noite tem grandes olhos, o que facilita a sua vida noturna.

Clique e curta o Portal Meio Norte no Facebook

Fonte: Lucrécio Arrais