Após perder neto por nova gripe, avô morre em tornado em SC

Ari Schuab, de 49 anos, foi o primeiro caso confirmado da doença na região

O neto de um dos mortos no tornado que atingiu a cidade de Guaraciaba (SC) morreu na semana passada vítima da nova gripe.

Ari Schuab, de 49 anos, foi o primeiro caso confirmado da doença na região, segundo sua família. Seu avô, Edvino, de 94 anos, e sua tia, Odalice, de 48, morreram durante o temporal que atingiu o norte catarinense na noite de segunda-feira (7) e foram enterrados nesta quarta (9).

"Semana passada a gente enterrou meu tio. Agora, meu avô e minha mãe", conta Roseli Schuab. O tio de Ari, Paulo, que também estava na casa na hora da tempestade, sobreviveu escondendo-se no banheiro de alvenaria, segundo o primo de Roseli, o professor Luís Henrique Schuab, de 38 anos -- sobrinho de Odalice e neto de Edvino.

"Ele correu para o banheiro. Como era mais baixo ali, ele acabou ficando preso no muro. E uma árvore que foi arrancada caiu por cima dele. A gente acredita que foi isso que salvou ele", conta o professor. Mário Schuab, filho de Paulo e Odalice, conta que a mãe, religiosa, buscou proteção em uma imagem de Nossa Senhora na hora da tempestade.

"Encontraram minha mãe a uns 50, 60 metros da casa. Na hora, meu pai disse que ela correu para abraçar a capelinha que tinha chegado em casa no feriado. Depois ela se escondeu embaixo da mesa da cozinha, mas era bem no meio da casa".

Destruição

Roseli Schuab conta que até o carro da família saiu voando. "Acharam minha mãe atrás do carro. Ele estava na garagem e voou longe", afirma. "Meu avô também estava a uns 30 metros de lá. A gente não sabe o que ele fez na hora, os vizinhos só ouviram os gritos", conta Mário Schuab. "O vizinho perdeu tudo, caiu a casa inteira. Mas ele escutou e correu."

Odalice Schuab morreu na hora do tornado. Edvino foi encontrado com vida, mas morreu na estrada a caminho do hospital. "Demorou três horas para percorrer 22 km e chegar ao socorro médico", conta Mário Schuab. "Era muita árvore. A estrada estava toda bloqueada", afirma.

Paulo Schuab está internado no hospital de São Miguel do Oeste, cidade vizinha a Guaraciaba. Segundo familiares, ele quebrou a clavícula e passou por uma cirurgia na terça-feira (8).

"Meu pai foi a estrada inteira carregando meu avô no colo, cuidando. Meu avô ainda chamava por ele, mas não aguentou. Se a estrada estivesse melhor, talvez ele tivesse aguentado", afirma Mário. A família Schuab perdeu tudo. "A geladeira foi voar a mais de mil metros, no terreno do vizinho", conta.

O G1 visitou os escombros da casa. O local onde a geladeira foi recolhida é oposto ao lugar onde foi encontrado o carro da família. O fogão se perdeu na mata, no alto do morro. O que sobrou da casa está bem no centro de um círculo de árvores derrubadas.

Mário Schuab pediu doações para as famílias da região. "A gente precisa de ajuda. Muitos aqui só têm a roupa do corpo. O pessoal teve que vir para o enterro de chinelo de dedo", afirma. "Quanto precisou, que teve as enchentes lá em Itajaí, o pessoal daqui ajudou, enviou doações. Agora é o povo daqui que precisa de ajuda", pediu.

A Prefeitura de Guaraciaba disponibilizou contas para doações:

Mitra Doações Guaraciaba

Agência: 1388-9

Conta: 30000-4

Banco do Brasil - Guaraciaba/SC

SOS Guaraciaba Dec 64/09

Agência: 1388-9

Conta: 40.000-4

Banco do Brasil - Guaraciaba/SC

Fonte: g1, www.g1.com.br