Após ser baleado, homem abre restaurante para ajudar crianças

Aos 44 anos ele levou um tiro de um garoto de aproximadamente 11.

Aos 44 anos ele levou um tiro de um garoto de aproximadamente 11. Passou meses se recuperando – e, internado no hospital, tinha de controlar a pressão de tão nervoso que se sentia. “Foi aí que eu dei um abraço mental naquele garoto e o perdoei”, conta Rodolfo que, depois do episódio, criou uma ONG para ajudar menores a se desenvolverem socialmente. E de quebra, ele levanta fundos com um restaurante vegano e macrobiótico na Vila Madalena. Fomos conferir de perto essa história. Vem, que é muito amor envolvido!

“A minha história é um limão que tem que virar uma limonada”, começa a me contar o cientista social, joalheiro e chef Rodolfo Penteado. Em 2002 ele foi assaltado por um adolescente e levou um tiro no rosto, perto da região da orelha. “Não gasta combustível com esse rapaz que ele é óbito”, conta uma de suas lembranças do dia do acidente na ambulância.

Foram meses e mais meses de recuperação entre UTI, fisioterapia e terapia por conta da síndrome do pânico que ele desenvolveu após o ocorrido. E não foi só isso. “Eu lembro bem do chefe da cardiologia do hospital me dizer: ‘vê o que você faz, porque a medicina não consegue fazer mais nada, você vai morrer do coração e não do tiro‘. E foi a partir desse momento que eu dei um abraço mental nesse menino e disse ‘eu te perdoo, vai, você é a vítima de uma sociedade injusta como a nossa, e não eu”.

E é com essas palavras que hoje Rodolfo leva uma vida leve apesar da paralisia facial e da perda total da audição no ouvido esquerdo. Mas não foi só essa marca que o passado deixou. Durante a sua recuperação, ele prometeu para si mesmo que estruturaria uma ONG a fim de tirar menores do crime. Em 2009, com ajuda dos pais e amigos ele abriu a Agrisol Vale, no Vale do Ribeira.

Seu pai morava próximo ao litoral paulista e lá plantava palmito. Só que antes mesmo da colheita, era comum na região que menores entrassem nas terras e extraíssem de maneira indevida o palmito para poder renvende-lo. E foi a partir daí que o projeto começou auxiliando 27 famílias com o plantio do alimento. “A missão da ONG é pegar esses meninos que estão roubando o palmito e ensiná-los a plantar”, explica.

Super preocupado com o meio ambiente, todo o plantio é ecologicamente correto. E é com esse espírito que ele abriu o Fradinho, um simpático restaurante na Vila Madalena, em São Paulo.

Image title

Image title

Image title

Image title

Image title

Image title

Image title

Image title

Image title

Image title

Fonte: Hypeness