Após um mês na Turquia, mulher ferida em queda de balão volta ao Brasil

Maisa Moreira Lima, de 71 anos, retornou em um avião ambulância.

Uma das brasileiras que ficaram feridas na queda de um balão na região turca da Capadócia, em maio deste ano, voltou nesta quarta-feira (19) ao Rio, um mês depois do acidente. Segundo a família da vítima, Maisa Moreira Ildefonso Lima, de 71 anos, chegou ao Brasil por volta das 22h em um avião-ambulância, após mais de 20 horas de voo. Ela está internada no Hospital Copa D?or, em Copacabana, na Zona Sul.


Após um mês na Turquia, mulher ferida em queda de balão volta ao Brasil

De acordo com Luis Lima, filho de Maisa, os gastos com a viagem foram arcados pela empresa que promovia o passeio turístico. ?Minha mãe, diferente das outras vítimas, voltou ao Brasil em um avião ambulância. Os custos foram bancados pela seguradora da empresa que fazia o passeio de balão?, comentou.

Ainda segundo ele, Maisa passa bem, realizou uma bateria de exames e já está no quarto.

Acidente matou três brasileiras

Três brasileiras morreram e outras 22 pessoas ficaram feridas na queda do balão. Marina Rosas, Maria Luiza Gomes e Ellen Kopelman moravam no Rio, eram amigas e viajaram juntas. Entre os feridos, dez eram espanhóis, sete brasileiros, três argentinos, um porto-riquenho e um português.

O Itamaraty confirmou a morte de três turistas do Brasil. Além de Marina, as vítimas são Maria Luiza Gomes e Ellen Kopelman, segundo agências internacionais e a agência turca Anatolia, que citam autoridades locais. Outra moradora do Rio, Maisa Lima ficou ferida na queda do balão.

Na época, testemunhas declararam aos meios de comunicação turcos que o acidente aconteceu pelo tráfego intensivo e descontrolado de balões na área.

O fato ocorreu pouco depois que o balão decolou, no começo da manhã do dia 20 de maio na cidade de Goreme, ao oeste da província turca de Nevsehir. Quando atingiu cerca de 300 metros de altura, houve o impacto com a cesta do globo de outro balão, o gerou a perda de equilíbrio. O piloto, de nacionalidade portuguesa, conseguiu controlar o balão até os 50 metros de altura, mas a partir daí começou a cair de forma descontrolada.

Cerca de 20 de empresas oferecem voos de balão entre 50 e 150 euros na região da Capadócia, muito popular entre os turistas de todo o mundo.

Fonte: G1