Artigo de aluna da UFPI ganha destaque em revista nacional

O destaque apenas premia o trabalho valoroso da estudante, onde várias horas de dedicação foram empregadas.

CONFIRA A REPORTAGEM COMPLETA NA EDIÇÃO DESTA SEXTA-FEIRA (11) DO JORNAL MEIO NORTE

Publicada desde a década de 80, a Revista de Pesquisa Veterinária Brasileira traz na sua mais nova edição um estudo sobre a cutia, desenvolvido pela aluna Andrezza Braga, da Universidade Federal do Piauí (UFPI). O artigo científico apresenta uma detalhada descrição morfológica e microscópica da laringe do animal, tal como tem o poder de embasar as práticas relacionadas à clínica de silvestres. O destaque apenas premia o trabalho valoroso da estudante, onde várias horas de dedicação foram empregadas.

A cutia é um gênero de roedor da família Dasyproctidae, medem entre 49 e 64 centímetros. No território nacional, existem cerca de 7 espécies desse mamífero. Sendo que ele é perseguido constantemente por caçadores, a fragmentação do habitat é umas das principais ameaças sofridas. Desse modo, com a pesquisa será possível contribuir com estudos descritivos envolvendo esse pequeno ser vivo.

Esses animais vivem em regiões com florestas densas e em matas ralas, disseminando-se também pelo cerrado. Sendo assim, a cutia é encontrada com frequência no Piauí. Com essa predominância é necessário que haja um projeto de preservação. O trabalho investigativo apresentado na publicação faz parte das produções do Grupo de Pesquisa em Animais Silvestres, coordenado pelos professores do Departamento de Morfologia da UFPI Dr. Aírton Mendes Conde Júnior, ligado ao Centro de Ciências da Saúde (CCS), e Dr.ª Maria Acelina Martins de Carvalho, do Centro de Ciências Agrárias (CCA). Responsável pelo estudo, a universitária Andrezza Braga justifica a relevância do artigo. "Estudos sobre a morfologia desses animais são importantes pois podem ser uma alternativa para o estudo de diversos processos patológicos, além de contribuir para a preservação da espécie", conta.

No desenvolvimento da ação foram utilizadas quinze cutias pertencentes ao Centro de Ciências Agrárias da Universidade Federal do Piauí e provenientes do Núcleo de Estudos e Preservação de Animais Silvestres com licença do IBAMA. Logo após a identificação foi promovida a sexagem e, posteriormente, a laringe acessada e dissecada sendo os fragmentos cartilagíneos encaminhados para rotina histológica e corados pelo método de hematoxilina-eosina. As lâminas obtidas foram visualizadas em microscopia óptica de luz e foto documentadas.

Fonte: Francy Teixeira