Audiência discute segurança pública na Zona Sul de Teresina

Foi discutida a elaboração Plano de Prevenção e Combate à Violência

O Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS) da Zona Sul sediou  uma audiência sobre Segurança Pública, numa realização em parceria da Secretaria Municipal do Trabalho, Cidadania e de Assistência Social e do Fórum Brasileiro de Segurança Pública. O evento teve da secretária da SEMTCAS, Mauricéia Carneiro, além de lideranças comunitárias, instituições, entidades e demais representantes ligados à temática.

A audiência norteou a atuação do município na elaboração do diagnóstico da violência de uma forma regionalizada, caracterizando a quarta etapa dessa elaboração, que prevê um Plano de Prevenção e Combate à Violência do Município de Teresina, que faz parte da segunda etapa do Programa Lagoas do Norte. Representantes do programa e da Secretaria Municipal do Planejamento também estiveram presentes.

Durante a audiência foram discutidos os problemas e as potencialidades relatadas pelas comunidades da região. A ideia foi compreender os indicadores de criminalidade e analisar como os recursos da comunidade podem ser potencializados para fortalecer as iniciativas de prevenção da violência. Além disso, foi apresentado o resultado parcial do diagnóstico, com base nos dados que foram coletados nas etapas anteriores.

Para Pâmela Ghaino, consultora do Fórum, a audiência cria uma oportunidade de diálogo participativo, trazendo informações importantes para o diagnóstico "É importante essa discussão, uma vez que aqui a comunidade diz se está sendo contemplada. A participação deles com voz ativa aprimora nosso trabalho e nos dá base para um diagnóstico melhor e mais preciso", disse.

Para Mauricéia Carneiro, secretária da SEMTCAS, o evento é um grande passo para a colaboração de um município melhor. "Sem dúvida nenhuma esse é um momento importante para a nossa cidade. Temos a representação das lideranças comunitárias, conselho tutelar e da polícia, fazendo um aprimoramento do que realmente ocorre, dessa violência que todos sofremos", disse Mauricéia.

Atualmente Teresina é a sexta capital do país com a maior taxa de homicídios. De acordo com as estatísticas, nos últimos meses, houve um aumento de 44% da violência em Teresina, o que, segundo a polícia, lhe torna, proporcionalmente, mais violenta que a capital do estado de São Paulo. O aumento crescente se dá pelos acertos de contas entre gangues, cujo combustível são as drogas, a disputa por territórios e vingança. Outra comprovação da polícia é que a maioria dos assassinatos envolve jovens dos 18 aos 23 anos.

Fonte: Com informações da Prefeitura de Teresina