Aulas noturnas devem aumentar custos para tirar habilitação

Despesas com aulas e turno extra serão repassadas aos motoristas.

A partir de maio, os motoristas que quiserem tirar a primeira habilitação terão que ter parte das aulas no período noturno. As autoescolas e os sindicatos que representam a categoria aguardam a definição da carga horária mínima que será fixada pelo Conselho Nacional de Trânsito (Contran), mas já afirmam que o custo para se tirar a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) deve sofrer alteração. “Precisamos aguardar a regulamentação do Contran para definir qual posicionamento vamos tomar”, afirma o presidente do Sindicato das Auto Motos Escolas e CFCs do Estado de São Paulo (Samesp), José Guedes Pereira. “Acredito que o órgão não vai alterar a carga horária atual que é de 20 horas-aulas. No entanto, mesmo que não haja aumento no número de aulas, as autoescolas terão que estender o horário de funcionamento até as 21h ou 22h, o que implica na criação de um novo turno e a contratação de novos funcionários.” De acordo com o presidente do Sindicato dos Instrutores e Empregados em Auto-Escolas de Aprendizagem do Estado do Rio de Janeiro, Adalto Noventa Medeiros, caso haja aumento na carga horária a previsão é que sejam acrescidas entre cinco e dez horas de aulas práticas. Cada hora-aula custa em média R$ 25, o que representaria o aumento de R$ 125 até R$ 250 no preço da habilitação. “Vai ficar muito caro para os alunos tirar carta, é uma pena”, afirma o diretor da Auto Escola Santana, André Ferreira. Outro ponto levantado é a disponibilidade de horário dos candidatos a motorista. “A maioria dos alunos utilizam o horário de almoço ou os sábados para fazerem as aulas práticas e agora serão obrigados a se adequar as aulas à noite”, diz o presidente do Samesp. É o caso da estudante Thaís Tüchumantel, de 20 anos, que estuda no período da manhã e trabalha à tarde até as 20h. “Faço as aulas aos sábados e não sei como faria caso tivesse que ir à noite para a autoescola. Além de correr o risco de não chegar a tempo, ainda perderia as poucas horas que me restam para estudar durante a semana.” Apesar de todas as mudanças, os sindicatos e autoescolas apóiam a nova lei. "Todo tipo de aprendizado é válido", afirma o proprietário da autoescola Lisboa, Décio Yokoyama. "Já tive contato com autoescolas da Alemanha e lá, além de aulas noturnas, tem aulas em estrada de terra e rodovia porque dirigir na rodovia é diferente de dirigir na cidade." Para o presidente do Samesp, as condições à noite são muito diferentes. "É uma oportunidade para o aluno aprender na prática quando usar o farol baixo, o alto, além de ter mais noção de reflexos”, diz.

Fonte: g1, www.g1.com.br