No PI, cresce a procura por hospedagem e tratamento para animais nas férias

No PI, cresce a procura por hospedagem e tratamento para animais nas férias

No final de um ano e início do outro, a procura por este serviço chega a triplicar.

Nesta época do ano é bem comum as pessoas se planejarem para as viagens de férias, mas o que fazer com os bichos de estimação? Geralmente, quem não tem estrutura na própria família para cuidar de cães e gatos acaba buscando como alternativa os chamados hotéis para animais. No final de um ano e início do outro, a procura por este serviço chega a triplicar.

Por conta do aumento pela procura, a reserva desses locais precisa ser feita ainda em outubro e novembro. De acordo com Artur Felipe, empresário do ramo, até o final de janeiro a procura vai ser 100% maior que o resto do ano.

"No final do ano, o índice de procura é 100% acima da média. Prova disso é que aqui, 70% da nossa capacidade já está reservada para o Natal e Réveillon", destaca o empresário.

A diária referente a hospedagem do animal, em alguns locais, varia de acordo com o tamanho do bicho ou com o tipo de serviço solicitado. Na empresa de Artur, o preço varia de acordo com o serviço ofertado. A diária de um cão ou gato varia de R$ 30,00 a R$ 40,00.

"Vai depender do tipo de serviço que o dono do animal vai querer. Se a ração for oferecida pelo dono ou pela empresa, se ele quer que o cão faça natação, passeio no pátio, entre outras coisas", explica o proprietário ao frisar que para hospedar o bicho, os donos precisam atender a uma série de exigências.

"Os animais precisam estar com a carteira de vacinação e vermifugação em dia. Além disso é solicitado ao proprietário que seja feito um controle nos cães contra as pulgas e carrapatos, com aplicação obrigatória no início da hospedagem", acrescenta.

Nestes locais especializados em receber hóspedes de quatro patas sempre é feito o check in, onde é preenchida uma ficha com todos os dados dos animais, do proprietário e ainda de alguém que deva ficar na cidade, em casos de emergência.

"Também é feito o check out para mostrar que ele está saindo bem, da mesma forma que entrou", completa Artur.

Fonte: Virgínia Santos e Aline Damasceno