Avenida Henry Wall de Carvalho recebe obras que melhoram tráfego

Em seguida começou a ser feita a pavimentação asfáltica

Depois de várias solicitações feitas por moradores da região Sul de Teresina, que residem nas proximidades dos Bairros Angelim I, II, III e IV e adjacências, em relação à pavimentação asfáltica e construção de galeria, na Avenida Henry Wall de Carvalho, finalmente a população começa a sentir de perto os resultados, positivos, do início das obras. A primeira etapa da obra foi a realização de drenagem, com a construção de uma galeria, para dar vazão, principalmente, as águas pluviais (águas provenientes das chuvas), que está em fase de finalização.

Em seguida, começou a ser feita a pavimentação asfáltica, do trecho compreendido entre uma fábrica de cerveja, até o início da PI-130. Também estão sendo recuperadas sarjetas, meio-fio e o canteiro central.

O que antes era só buraqueira e poeira no período de verão e, muita lama, no período de inverno, começa a dar lugar ao nivelamento da via, por conta do recapeamento asfáltico. A previsão, de acordo com a Superintendência de Desenvolvimento Urbano Sul (SDU/Sul), é de que, até o final do ano, toda a pista seja totalmente liberada para o trânsito. “O trecho compreendido a partir de uma fábrica de bebidas, até o início da PI-130, já está praticamente concluído.

Portanto, em fase de finalização”, reforça o coordenador de asfalto da Prefeitura de Teresina, Daniel Pereira.

Segundo ele, a próxima etapa a ser realizada com a pavimentação asfáltica, compreende o trecho da Chesf, no Balão da Tabuleta, até a entrada do Parque Piauí. “Essa outra etapa está prevista para ser iniciada ainda esta semana, com a pavimentação asfáltica de todo esse trecho, em forma de recapeamento asfáltico”, acrescenta.

Em termos de valores orçados para as obras, o coordenador falou que na primeira etapa foram gastos em torno oito milhões de reais, incluindo a obra da galeria e a pavimentação asfáltica. Para a segunda etapa de recapeamento asfáltico do trecho compreendido do Balão da Tabuleta até a entrada do Parque Piauí, estão previstos gastos da ordem de três milhões de reais.

A Avenida Henry Wall de Carvalho possui três quilômetros de extensão, partindo da fábrica de bebidas até a entrada de acesso á Vila Irmã Dulce. A obra foi segmentada em seis trechos que foram divididos para possibilitar que as obras fossem sendo executadas sem a necessidade de interditar totalmente o trecho, que é fluxo constante de veículos na capital.

Moradores e motoristas aprovam obras

Os moradores que residem e ou trafegam por aquela região se dizem satisfeitos com as obras de drenagem e recapeamento asfáltico. O motorista e morador do Bairro Angelim I, Raimundo Saraiva Ximenes, se utiliza diariamente da via pública, para se deslocar ao trabalho. O morador lembra das dificuldades enfrentadas por ele, antes do recapeamento asfáltico.

“Era tanta buraqueira no verão e tanta lama no inverno, que muitas vezes era difícil trafegar pela Henry Wall de Carvalho. Vivemos momentos terríveis, mas agora, depois desse trabalho, melhorou bastante. Nem se compara com o que a via era antes”, comenta Ximenes Saraiva, acrescentando que chegou a ter uma das calhas do pneu do seu carro empenada, por conta dos buracos existentes na via, o que lhe causou prejuízos.

Outro motorista que reside no povoado Bebedouro, Raimundo Ferreira dos Santos, e que trafega pela via, para vir a Teresina, diz que está satisfeito com a obra de recapeamento asfáltico e com a construção da galeria. Segundo ele, passar no local onde a água fica acumulada era estressante, sem contar o medo de ter prejuízos no carro, por causa dos buracos que em dias de chuvas, ficavam “escondidos sob as águas”. “Em relação ao que era antes, a avenida está ótima. Há muito tempo que gostaríamos de ver esse trabalho realizado e agora a via está quase um ‘tapete’”, elogia Raimundo Ferreira. (L.M.)

Melhorias trazem clientes de volta, garantem comerciantes

Para os comerciantes que moram e têm seus estabelecimentos comerciais nas proximidades da Avenida Henry Wall de Carvalho, o acesso facilita o deslocamento de clientes e de pessoas de modo geral, que necessitam da via pública para se deslocarem, não só para o trabalho, mas para qualquer outro local da cidade.

A moradora do Bairro Angelim II, dona de casa e também comerciante, Matildes Pereira Silva, lembra que a via estava totalmente esburacada, há muito tempo e que o benefício só irá melhorar a vida das pessoas e, claro, da sua clientela. “Na minha opinião. Melhorou oitenta por cento em relação ao que estava antes. Graças a Deus, a pista está trafegável. Toda a comunidade agradece e minha clientela também. Antes, para chegarmos a nossa casa, pela Henry Wall de Carvalho, era um sacrifício”, observa Matildes.

A dona de casa e funcionária de um estabelecimento comercial, na região do bairro Angelim, Cleide Pereira dos Santos, também sentiu a melhoria da acessibilidade, principalmente pelo fato de depender de ônibus, para se deslocar pela via. “A avenida era ruim não só para quem anda de carro, de ônibus, mas até para quem anda a pé.

Tinha muitos buracos e nossa reclamação era antiga. Agora melhorou quase cem por cento”, conclui Cleide Pereira.

Fonte: Lindalva Miranda