Avistados novos destroços do Airbus

Os destroços avistados nesta sexta estão em águas brasileiras

Os navios que participam das buscas ao voo 447 seguem, nesta sexta-feira (12), para uma região onde foram avistados destroços que podem ser da aeronave da Air France, que caiu no domingo, dia 31, depois de decolar do Rio de Janeiro em direção a Paris. A informação foi dada pelo tenente-brigadeiro Ramon Borges Cardoso, do Departamento de Controle do Espaço Aéreo.

Os destroços avistados nesta sexta estão em águas brasileiras. Até a quinta-feira (11), 44 corpos haviam sido reitrados do mar. Não há informações de resgate de mais corpos.

Duas aeronaves francesas que participam da operação de buscas estão paradas nesta sexta, para manutenção que já estava prevista. Cardoso diz que elas devem voltar ao trabalho de resgate no sábado (13).

Segundo o vice-almirante Edson Lawrence, a Fragata Constituição, que está navegando em direção a Fernando de Noronha com três corpos de vítimas retirados do mar, será substituída pela Corveta Jaceguai na operação de buscas.

Oitocentos e quarenta militares da Aeronáutica e da Marinha brasileiras participam dos trabalhos.

Leia nota divulgada pela Marinha e pela Aeronáutica, nesta manhã, na íntegra:

"O Comando da Marinha e o Comando da Aeronáutica informam que, nas últimas horas, aeronaves de busca visual, deslocadas para oeste dos pontos de concentração inicial, conseguiram avistar diversos destroços, confirmando as previsões do planejamento de buscas em relação ao movimento das correntes marítimas. Navios já foram direcionados para o resgate nessas áreas.

A meteorologia indica uma acentuada piora das condições de tempo e visibilidade na área de buscas, o que poderá comprometer os trabalhos. Mesmo com as limitações meteorológicas, as buscas continuarão a ser realizadas, sempre nas áreas que ofereçam condições de voo visual a baixa altura. As condições do mar são favoráveis, com ondas de até um metro de altura.

O efetivo militar, os meios empregados, assim como a conduta adotada para as Operações de Busca, permanecem sem alteração em relação às informações prestadas anteriormente."

Fonte: g1, www.g1.com.br