Bancários entram em greve por tempo indeterminado no Piauí

Os bancários reivindicam reajuste de 16%

Os bancários do Piauí, por unanimiade, votaram durante assembleia relizada na noite de ontem, na sede da entidade, pela deflagração da greve por tempo indeterminado a partir da zero hora da próxima terça-feira, dia 6.

A deliberação veio justamente por conta da insatisfação da categoria diante da proposta apresentada pela Federação Nacional dos Bancos (Fenaban), que na última rodada de negociações ofereceu um reajuste de apenas 5,5%, índice que está muito abaixo da inflação, que ficou em 9,88%, e abono de R$ 2.500,00 não incorporado ao salário. A categoria reivindica um reajuste de 16%.

O presidente do Sindicato dos Bancários o Piauí, Arimatéa Passos, fez a abertura da assembleia falando sobre a campanha do Outubro Rosa e a importância do cuidado com a saúde da mulher. Em seguida, agradeceu à diretoria do sindicato pelo empenho na organização e divulgação da assembleia.

“A categoria mais importante desse país, por onde eu passo, é a dos bancá- rios”, enfatiza.

Ele falou também sobre as várias rodadas de negociações entre a classe bancária e os banqueiros, que acontecem desde o mês de agosto, em que foram discutidas as propostas que abrangem a saúde, segurança, salários, entre outros.

A proposta dos bancários foi rejeitada pelos banqueiros e a data da greve foi escolhida de acordo com o estatuto do sindicato do Piauí, sendo que, decidido pela greve, há um prazo de 72h para o seu início.

A data foi discutida com o setor jurídico da Contraf-CUT e do próprio sindicato.“Nós temos tudo para fazermos a maior greve de todos os tempos”, acrescenta Arimatéa Passos, que espera contar com o apoio de toda a categoria bancária no sentido de organizar um movimento forte e coezo no Piauí, tanto na capital como no interior.

O vice-presidente, João Sales, disse que uma greve precisa do apoio presencial de todos os bancários na porta dos bancos e incentivou os mesmos a participarem ativamente da greve que se aproxima.

Arimatéa Passos falou ainda sobre o lucro que os bancos tiveram este ano, o que não justifica a rejeição da proposta salarial feita pelos bancários.

Disse ainda que, na segunda-feira, será feita uma assembleia de organização para que seja distribuído o material que será utilizado na greve, como adesivos, cartazes, faixas e camisetas.

Fonte: Jornal Meio Norte