Banda e filho cantam música do Charlie Brown Jr. em missa de sétimo dia da morte de Chorão

Banda e filho cantam música do Charlie Brown Jr. em missa de sétimo dia da morte de Chorão

Os músicos da banda Charlie Brown Jr. e o filho de Chorão, Alexandre, cantaram a música "Dias de Luta, Dias de Glória"

Os músicos remanescentes da banda Charlie Brown Jr. e o filho de Chorão, Alexandre, cantaram a música "Dias de Luta, Dias de Glória" para relembrar o cantor na primeira missa em homenagem ao cantor nesta quarta-feira (13), na igreja Nossa Senhora do Carmo, em Santos. A cerimônia começou às 18h e terminou às 19h10, sendo organizada pela estilista Graziela Gonçalves, segunda mulher do músico.

Um amigo da família estava na cerimônia e, com um violão, convocou Champignon, Marcão e Thiago Castanho para relembrar do amigo com uma canção da banda.

O filho de Chorão, Alexandre, 23, demonstrou irritação com a presença da imprensa antes de entrar na igreja, chegando a mostrar o dedo do meio a fotógrafos e jornalistas. Entre os famosos, o atore Paulo Vilhena, que era amigo do músico, também compareceu à cerimônia. O segurança Victor Vasconcelos e o motorista Kléber Attala, que encontraram o corpo do cantor, foram outros que estiveram na missa.

Mais tarde, às 19h30, Chorão foi lembrado em uma segunda missa, realizada pela família do cantor na igreja Santa Edwiges. Alexandre, Victor e Kléber também compareceram a esta cerimônia, mas os músicos do Charlie Brown Jr. não apareceram. Os irmãos Tânia e Fábio representaram os parentes mais próximos do cantor. A mãe de Chorão, Nilda Abrão, não foi a nenhuma das duas missas.

Segundo a reportagem, a igreja era menor que a da primeira missa e não chegou a lotar. Uma equipe da afiliada da TV Globo na Baixada Santista, TV Tribuna, foi expulsa de dentro do recinto aos berros por Kátia, irmã de Chorão que veio do exterior para a missa. A cerimônia terminou às 20h30.

Investigações

Chorão foi encontrado morto na madrugada do dia 6 de março em seu apartamento no bairro de Pinheiros, zona oeste de São Paulo. As circunstâncias da morte ainda estão sob investigação do DHPP (Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa).

Na semana passada, vizinhos e funcionários do prédio onde Chorão morava foram ouvidos pelo delegado Itagiba Franco, que conduz o caso. Alexandre, filho de Chorão, e Thaís Lima, mãe do rapaz de 23 anos, também foram ouvidos. Nesta semana, o delegado pretende ouvir Graziela Gonçalves e os integrantes da banda Charlie Brown Jr. Esses depoimentos, segundo Franco, ajudarão a entender como o cantor estava se comportando antes de morrer.

No entanto, as pistas essenciais para a elucidação do caso são o laudo toxicológico e a necropsia. O primeiro vai indicar se o cantor consumiu drogas antes de morrer. Já o segundo vai mostrar qual foi a causa da morte. De acordo com o delegado, os resultados dos exames devem sair entre 20 e 30 dias.

Fonte: UOL