Banda larga móvel está disponível a 62% dos brasileiros

O levantamento prevê que a tecnologia de banda larga móvel deve ultrapassar os acessos fixos no país em 2011

O acesso rápido à internet sem fio está disponível para 62,3% da população brasileira, afirma uma pesquisa divulgada nesta quarta-feira (2).

O levantamento prevê que a tecnologia de banda larga móvel deve ultrapassar os acessos fixos no país em 2011, com atraso de dois anos em relação à média mundial. Segundo o levantamento, produzido pela empresa chinesa de equipamentos para telecomunicações Huawei e a consultoria Teleco, até o final do segundo trimestre, 11,3% do municípios do país tinham disponível serviço de banda larga móvel oferecido por pelo menos uma das quatro principais operadoras de telefonia celular: Claro, Oi, TIM e Vivo. O índice inclui 97,3% das cidades com mais de 500 mil habitantes.

Em termos de usuários, a pesquisa afirma que ao final do primeiro semestre havia 4 milhões de acessos, o que corresponde a uma taxa de 2,1 para cada 100 habitantes, abaixo da média mundial de cinco acessos. O serviço de banda larga móvel depende de tecnologia 3G, que ainda tem pouca participação no mercado brasileiro, pelo alto preço dos aparelhos celulares compatíveis com essa tecnologia e pela pouca disponibilidade do serviço para usuários do segmento pré-pago, afirma o estudo.

Segundo o levantamento, a média de preços no Brasil para pacotes de transferência de volumes de 500 Mbytes de dados está acima dos praticados em outros países latino-americanos. Enquanto no país se pratica uma média de R$ 76, no Chile o valor cai para R$ 58,50. No México são R$ 56,10, e na Argentina, R$ 35,40. Em termos de velocidade, o estudo cita que pacotes de 1 megabit por segundo custam em média R$ 119,9 no Brasil enquanto a operadora Vodafone cobra R$ 97 reais por 5 megabits por segundo em Portugal. Em 2007, apenas 1,7% do total de celulares no Brasil eram 3G, ante uma participação de mais de 10% no mundo todo.

A Huawei estima, no entanto, que a banda larga móvel irá se tornar o serviço de maior crescimento no Brasil, com mais de 60 milhões de acessos até 2014, logo ultrapassando o número de acessos à internet por meio da banda larga fixa. No segundo trimestre de 2009, foram 4 milhões de acessos à internet via celulares e modems sem fio no Brasil, o que representa um aumento de 33% em relação ao primeiro trimestre, afirma a pesquisa.

Fonte: Folha Online, www.folha.com.br