BR-343 pode ser privatizada, afirma inspetor da PRF-Piauí

Para que a privatização aconteça é necessário que 15 mil veículos trafeguem pela referida rodovia

O Departamento de Infraestrutura Terrestre (Dnit), através do Plano Nacional de Contagem de Tráfego (PNCT) está privatizando várias BR"s em todo o Brasil. Quando isso acontece, são colocados nas estradas pontos de pedágios para aferição do peso, a origem e os destinos dos veículos e o volume de carros que está passando.

Para que a privatização aconteça é necessário que 15 mil veículos trafeguem pela referida rodovia. Se o tráfego for de 30 mil veículos, a rodovia ganha da empresa vencedora da licitação a manutenção constante e até uma duplicação, novidade que não deve chegar ao Piauí, pelo menos, por enquanto.

A BR-343 mais movimentada do Piauí, que liga Teresina ao litoral do Estado tem um tráfego de apenas 5.700 veículos por dia. ?A exigência é parte dos conceitos básicos em si tratando de volume de tráfego, o que acontece apenas em super rodovias?, afirmou o diretor geral do Dnit, Sebastião Oliveira.

Segundo o Dnit, se houvesse privatização, o motorista pagaria em uma viagem de Teresina a Parnaíba, aproximadamente R$ 60,00.

O inspetor da Polícia Rodoviária Federal, Fabrício Loyola, afirma que a privatização da BR-343, de Teresina a Parnaíba, fará parte de uma pesquisa irá subsidiar as decisões do governo federal que envolvem o Programa de Aceleração do Crescimento (Pac) e, ?dentro dessas decisões, há possibilidades de privatização e duplicação da rodovia piauiense.?

Fonte: Denison Duarte