Brasil fará alerta contra viagens à Argentina e ao Chile

A recomendação do Ministério da Saúde será feita, principalmente, para algumas pessoas

O ministro da Saúde, José Gomes Temporão, disse nesta terça-feira (23), em São Paulo, que o boletim que será divulgado nesta tarde também irá recomendar que os brasileiros evitem viagens para países da América do Sul onde circula o vírus da nova gripe, principalmente Argentina e Chile. ?Essa medida que a Secretaria de Saúde [de São Paulo] divulgou foi tomada em comum acordo com ministério?, disse Temporão.

A Secretaria da Saúde de São Paulo divulgou uma nota, no final da manhã desta terça-feira (23), em que pede que as pessoas que moram no estado evitem viajar para a Argentina e para o Chile. A medida foi tomada ?em razão do risco de contágio pelo vírus da gripe A H1N1, popularmente conhecida como gripe suína?.

A recomendação do Ministério da Saúde será feita, principalmente, para algumas pessoas. ?No boletim que o Ministério vai soltar agora à tarde, vamos informar medidas adicionais. Basicamente, é que pessoas com mais de 60 anos, crianças até 2 anos e pessoas em tratamento de quimioterapia e Aids [os imunodeprimidos], se possível, adiem viajar para países onde o vírus circula?, afirmou.

Temporão afirmou que, neste momento, Argentina e Chile têm o maior número de casos, por isso a recomendação. ?Nesse momento, na América do Sul, os dois países com maior número de casos de onde o vírus circula com maior intensidade são Argentina e Chile?, disse.

Para o ministro, o número de casos que estão sendo confirmados no país ?já era esperado?. ?Isso significa que o sistema de Vigilância Sanitária Epidemiológica de controle de doentes, de detecção precoce, tratamento e confirmação laboratorial, está funcionando.?

Aulas suspensas

Segundo o ministro, as recomendações sobre a doença no Brasil continuam as mesmas. ?A vida no Brasil continua normal, sem nenhum tipo de restrição?, disse. ?O que eu solicito é que não sejam tomadas medidas sem que consultem a Vigilância Sanitária e a saúde pública dos municípios?, disse, quando questionado sobre casos de escolas que tiveram as aulas suspensas. ?É compreensível que pais, professores e diretores se sintam inseguros, mas as autoridades estão aí para esclarecer e ajudar esses dirigentes.?

Em relação à situação de emergência decretado em São Gabriel, no Rio Grande do Sul, o ministro disse que ?a decisão do prefeito foi própria, que não houve recomendação do estado em relação a isso?. Quanto à vacina contra a nova gripe, Temporão afirmou que há uma expectativa que ela esteve disponível no hemisfério Norte em outubro. No caso do Brasil, é provável que ela só esteja disponível no inverno do próximo ano.

Recomedação em SP

A recomendação em São Paulo ocorreu com base em estatísticas feitas pela secretaria. Um balanço da instituição mostra que 40% dos 116 casos da nova gripe registrados no estado até a segunda-feira (22) foram de pacientes que se contaminaram durante viagem a Argentina. O Chile corresponde a 5,1% dos casos da gripe entre os paulistas. Um percentual de 15,5% dos pacientes adquiriram a doença nos Estados Unidos e 2,5% no Canadá.

Embora os Estados Unidos tenham sido o segundo país com maior percentual de pessoas que voltaram de viagens contaminadas, de acordo com a secretaria, a restrição não foi estendida àquele país porque a maior parte dos casos foram verificados logo no surgimento da doença no mundo e também porque naquele país o inverno, período em que é maior a transmissão desse tipo de doença, está acabando. O contrário ocorre com a Argentina, que concentra o maior número de casos recentes e onde o inverno está começando. O mesmo ocorre com o Chile.

São Paulo tem 149 casos confirmados da nova gripe e há outros 69 pacientes sob suspeita. Até o momento, não há registro de mortes relacionadas à doença.

De acordo com a secretaria, a recomendação também vale para outros países da América do Sul que registram transmissão da gripe. O comunicado sobre a recomendação foi também enviado nesta manhã para o Ministério da Saúde. Além desses, os outros países apontados como locais prováveis de infecção foram França, Inglaterra, México e Uruguai.

Pela nota, grávidas, pessoas imunodeprimidas, crianças menores de 2 anos e idosos terão restrição especial, uma vez que ?o risco de terem complicações em decorrência da infecção pelo vírus da nova gripe é maior nesses grupos?.

Ainda segundo pesquisa da secretaria, a idade média dos pacientes contaminados com a doença é de 27 anos. A faixa etária entre 21 e 30 anos representa 31% dos casos; seguida pela faixa de 31 a 40 anos, com 15,5% do total de contaminados. A maior parte dos casos confirmados, 54,3%, são homens.

Sem restrição

A Anvisa informou que não há recomendação da Organização Mundial de Saúde (OMS) para que as pessoas deixem de ir para Argentina ou Chile. Segundo a assessoria de imprensa do órgão, esta recomendação não existiu nem para o México, quando aquele país surgiu como principal foco da nova gripe. Eles recomendam apenas que os viajantes tomem os cuidados necessários listados na página do Ministério da Saúde na internet.

Isolamento no Rio

A Vale S.A. decidiu fechar um andar de sua sede, no Centro do Rio, também por causa da doença. Cerca de 90 pessoas entre funcionários da Vale S.A e prestadores de serviço fazem quarentena em suas casas após um consultor ter sido diagnosticado com a nova gripe. O prestador de serviço teve a doença confirmada no dia 19, após voltar de uma viagem à Argentina. Ele trabalha no 30º andar do Edifício Santos Dumont, no Centro do Rio, que está fechado desde segunda-feira (22).

Aulas suspensas e férias antecipadas

Por causa da doença, o campus da Universidade Estadual Paulista (Unesp) em Assis, a 434 km de São Paulo, teve as aulas suspensas até o fim desta semana. A medida foi tomada após a confirmação do segundo caso da nova gripe na cidade. Uma estudante de biologia e outra de psicologia da universidade foram infectadas. Além da suspensão das aulas, o vice-diretor da Unesp, Ivan Esperança Rocha, disse à reportagem do G1 que a universidade está estudando a possibilidade de antecipar as férias de julho.

Três escolas de São Paulo também decidiram antecipar as férias devido à doença. O Colégio Palmares, localizado em Pinheiros, na Zona Oeste de São Paulo, antecipou para esta terça-feira as férias inicialmente marcadas para 30 de junho. A mãe de um dos alunos da 8ª série informou, no sábado (20), que o garoto foi contaminado pela nova gripe.

No domingo (21), o Colégio Magno anunciou que encerraria antecipadamente as aulas deste semestre em uma de suas unidades por causa da doença. A medida foi tomada por conta da contaminação de dois alunos pela influenza A (H1N1). Além da antecipação das férias, a festa junina da escola foi adiada.

O Colégio Pueri Domus, na Zona Sul de São Paulo, decidiu antecipar as férias escolares após a confirmação da doença em dois alunos do local. Segundo a assessoria, os alunos deveriam ter aulas até o dia 26 de junho, mas o semestre foi encerrado na sexta-feira (19).

O Colégio Anglo Cassiano Ricardo, em Taubaté, a 140 km de São Paulo, teve as aulas suspensas por uma semana por causa de um aluno diagnosticado com a nova gripe. De acordo com Anísio Spani, mantenedor do colégio, a escola foi comunicada nesta segunda-feira (22) que o estudante do ensino médio está com a doença.

Fonte: g1, www.g1.com.br