Brasil terá 300 milhões de celulares em 2013, diz Anatel

Expectativa é que 2010 termine com 190 milhões de linhas no país

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) prevê que, em 2013, o Brasil alcance a marca de 300 milhões de celulares. A estimativa é do gerente de regulação do órgão, Bruno Ramos, que participou nesta quinta-feira (20) do Fórum Nacional no Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Segundo ele, o país já o quinto colocado no ranking mundial de acessos à telefonia celular, atrás apenas de China, Estados Unidos, Índia e Rússia. Em 2009, o número foi de 175 milhões e a expectativa é que 2010 termine com 190 milhões de linhas.

"Estamos muito perto da Rússia e não dá para comparar com China e Índia, que têm mais de 1 bilhão de habitantes e aumentam o acesso rapidamente", disse o gerente da Anatel.

Esse crescimento, segundo ele, é fruto da maior competitividade no setor. Ramos lembra que a Anatel lançou a portabilidade numérica, que permite que o cliente mude de operadora e permaneça com o mesmo número de telefone.

De acordo com o executivo, desde o leilão da tecnologia 3G, em 2007, o governo vem priorizando metas de ampliação de cobertura em detrimento do preço. Nessa licitação, por exemplo, a Anatel exigiu a cobertura de todos os municípios sede em dois anos após a assinatura do contrato de concessão.

Segundo o gerente da Anatel, o segmento de telefonia pretende expandir nos próximos anos o serviço de comunicação móvel no país e disponibilizar, por exemplo, chips para serem colocados nas pulseiras de bebês em maternidades, em casas, carros e outros.

"Já há um resolução do Contran (Conselho Nacional de Trânsito) que vai exigir que cada carro tenha rastreamento e bloqueio. Uma geladeira também poderá ter acesso móvel. A comunicação "machine to machine" vai fazer com que esse ritmo de crescimento acelere ainda mais no Brasil. Vamos ter mais acessos móveis que pessoas", disse Ramos.

Fonte: g1, www.g1.com.br