Mulher obrigada a se prostituir na Espanha tenta voltar para Brasil

Mulher obrigada a se prostituir na Espanha tenta voltar para Brasil

Ela se mudou para a Espanha com a promessa de emprego de cabeleireira, mas quando chegou foi obrigada a se prostituir.

Após ser vítima do tráfico de pessoas para a prostituição na Europa, a goiana Vanessa dos Santos Costa, 30, tenta voltar ao Brasil com a ajuda das autoridades do Estado de Goiás. Ela se mudou para a Espanha com a promessa de emprego de cabeleireira, mas quando chegou foi obrigada a se prostituir.

Vanessa deixou a cidade de Uruaçu, a 280 quilômetros de Goiânia, em 2004. Depois de dois anos se prostituindo, em 2006 ela começou a se relacionar com um espanhol identificado apenas como Sérgio. Os dois foram morar juntos e ele decidiu registrar o filho de Vanessa, cujo pai era um brasileiro.

O garoto, que hoje tem 12 anos, foi morar com a mãe na Espanha. Mas a rotina de violência entre o casal fez com que Vanessa perdesse a guarda do filho para o governo de Barcelona. Preocupados com a vida da goiana, familiares procuraram, em novembro, a Secretaria de Assuntos Internacionais do Estado de Goiás para intermediar o retorno dela a Uruaçu.

No dia 16 de novembro, Vanessa, depois de ser vítima de violência do companheiro, saiu de casa e passou uma semana nas ruas de Barcelona. Neste período, a família acionou o secretário de Assuntos Internacionais do Estado de Goiás, Elie Chidiac.

As negociações com o companheiro de Vanessa e o governo de Barcelona começaram desde então. Por intermédio da Secretaria, Vanessa conseguiu ser acolhida por uma família em Barcelona e agora espera a finalização dos trâmites legais para voltar a Goiás.

Chidiac explicou que, devido às constantes agressões físicas e psicológicas, o filho de Vanessa foi recolhido pelo Conselho Tutelar de Barcelona e levado para um orfanato em 2010. Segundo ele, a goiana relatou que era obrigada a usar drogas a mando do companheiro e até foi presa por um período.

O secretário intermediou uma negociação com o companheiro de Vanessa, que concordou em assinar a autorização para que o garoto possa viajar ao Brasil.

?A guarda do menino não está nem com a mãe e nem com o pai, o espanhol que o registrou. Está com a Justiça Espanhola da Catalunha. Depois dos contatos do governo de Goiás, agora a justiça espanhola solicitou que assistentes sociais visitem a família da goiana, em Uruaçu, para verificar se há todas as condições de receber o garoto?, afirmou Chidiac.

Segundo o secretário, o caso está sendo acompanhado pelo Estado de Goiás e o Ministério das Relações Exteriores, que custeará as passagens. Ele disse que a previsão é que a viagem dela e do filho aconteça em ainda em dezembro, no mais tardar até o Natal.

Somente neste ano, ele disse que 16 goianos em situação de risco, sendo a maioria mulheres com filhos, pediram ajuda à Secretaria de Assuntos Internacionais para voltar ao Brasil. Os dados oficiais do governo registraram que cerca de 3.000 goianas saíram do Estado para se prostituírem em outros países entre os anos de 2000 a 2012.

Fonte: UOL