Brasileiros falam sobre tremor na Itália

Para a brasileira Eloá Nascimento dos Santos, 25, a situação foi menos traumática

?Acordei apavorado, sem saber o que estava acontecendo. Minha cama e o lustre balançavam, e eu senti o prédio dançar?, contou ao por telefone ao G1 o brasileiro Márcio Mattoso Boaventura, 25, que vive há dois anos e meio em Roma e testemunhou os efeitos do terremoto desta segunda-feira (6) na região de L"Aquila. O estudante de psicologia, que aluga um quarto de um apartamento no sexto andar, disse que os moradores saíram de seus quartos para ver o que tinha acontecido.

?A sensação é de não saber o que vai acontecer. O terremoto durou cerca de 30 segundos, mas parecia que ele se estendeu por um minuto?, afirmou Boaventura, de São Paulo. Ele afirma que, pelo fato de nunca ter testemunhado algo parecido, demorou para entender a situação. ?A dona da casa onde moro, uma senhora italiana, já passou por isso outras vezes e sabia logo de cara que era um terremoto.?

Para a brasileira Eloá Nascimento dos Santos, 25, a situação foi menos traumática. Há três meses em Roma, onde faz mestrado em economia, ela estava dormindo na hora do terremoto. ?Senti a cama tremer, mas ela não saía do lugar porque estava presa a um móvel. Eu estava com febre alta e, por isso, cheguei até a achar que era alucinação?, contou a estudante que, no Brasil, vivia em Santa Tereza (Rio).

Seu namorado, Luis Juracy Rangel Lemos, 29, chegou a acender a luz, mas também voltou a dormir. ?Só hoje pela manhã, quando a vizinha veio comentar com a gente, descobrimos que era um terremoto. Só se fala nisso, estão todos bastante preocupados com as áreas mais atingidas. Perto de nós, não houve incidentes mais graves?, afirmou a estudante.

A brasileira Luisa Gomes Mendonça, de 42 anos, mora em Riano, na província de Roma, e contou ao G1, por telefone, que sentiu o tremor na madrugada. "O cachorro latiu e nós sentimos tudo tremendo. Até saímos na rua para ver o que era". Ela disse que a família do marido mora na região afetada pelo terremoto, mas que estão todos bem.

O último terremoto grave na Itália havia ocorrido em 1980, no sul do país, provocando a morte de 2.700 pessoas.

Para a GloboNews, o operador de sistemas Gean Kili contou que no momento do tremor estava falando ao telefone com a mulher, que está no Brasil.

"Disse que o prédio estava se mexendo e que estava acontecendo um terremoto. Ela perguntou se era sério e eu disse que sim. Desliguei o telefone, mas depois faltou luz e os alarmes do carro começaram a tocar. Poucas pessoas foram para a rua. Teve muito tremor, uma ambulância passou", disse.

Em Montesilvano, a cerca de 100 quilômetros de L´Aquila, Márcio Vinicius Forte disse que foram acordados pelo terremoto.

"Estávamos dormindo apos um domingo de sol maravilhoso. Acordamos assustados, o lustre girava, parecia um pesadelo. Fomos para embaixo da porta na sala. Depois de 30 segundos, colocamos uma roupa rápida e saímos do apartamento", afirmou. "A sensação nao é das melhores e felizmente minha cidade não foi atingida como L´Aquila", completou.

Segundo ela, somente os italianos souberam imediatamente que se tratava de um terremoto. ?Minha vizinha ficou com o filho perto de uma pilastra, por uma questão de segurança.?

Fonte: g1, www.g1.com.br