Por ciúmes, duas brigam e uma acaba com cabelo cortado em frente de casa

Vítima disse ter recebido ameaças e que agressão foi motivada por ciúmes

Uma estudante de 15 anos teve o cabelo cortado por outra jovem durante uma briga de rua no bairro Itapuã, em Piracicaba (SP). A vítima relatou em entrevista que a agressão foi motivada por ciúmes.

"Eu saí com um ex-namorado dela de três meses atrás. Ela não gostou e veio tirar satisfação. Quando ela começou a me agredir eu não tive reação. Na hora que ela pegou a tesoura, passou de tudo pela minha cabeça porque eu não sabia o que ela poderia fazer", afirmou a jovem.


Briga acaba com cabelo cortado:

A estudante disse que já havia recebido ameaças. ?Eu soube que ela queria me bater, mas nunca imaginei que seria capaz de fazer uma coisa dessas.? A adolescente estava em casa, na tarde de quarta-feira (3), quando foi chamada no portão de sua residência pela agressora. ?Ela e mais três meninas disseram que queriam só conversar. Pensei que não ia acontecer nada.?

Violência em sala de aula. Estudante é esfaqueada em João Pessoa

A mãe da jovem, uma doméstica de 53 anos, afirmou que a filha não queria mais voltar à escola. ?Foi muito chocante o que aconteceu. Chorei quando fiquei sabendo. Depois procurei a delegacia para fazer o boletim de ocorrência. Isso não pode ficar desse jeito." A estudante foi levada pela mãe ao cabeleireiro para "dar uma arrumada" no corte.

Outra adolescente de 15 anos, amiga da estudante, afirmou que a agressora chegou a esperar pela vítima no portão da escola. ?Eu vi a menina lá e desconfiei. Liguei e avisei minha amiga, que foi embora para casa com um amigo nosso. Só por causa disso a menina [agressora] discutiu comigo", afirmou a colega da vítima.

Uma testemunha do bairro disse ter visto a estudante conversando com as quatro garotas. ?Elas estavam só conversando. Estavam exaltadas, mas nem me passou pela cabeça que poderia acontecer aquela agressão. Fiquei horrorizada quando vi a tesoura, mas não pude defender a menina?, afirmou a testemunha.

Investigação

De acordo com a escrivã da Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) de Piracicaba, Lúcia Cristina Dri, a jovem agressora ainda não foi localizada e os dados pessoais não foram coletados. O caso foi encaminhado para a Vara da Criança e Juventude, já que a vítima é menor de 18 anos.

Assim que for confirmada a idade da agressora, a delegada Monalisa Fernandes, titular da DDM, tomará as providências. Se ela tiver menos de 18 anos, o caso ficará sob responsabilidade da Vara da Criança e Juventude. Se a garotar foi maior de idade, será instaurado um processo criminal, de acordo com informações da Polícia Civil.

Fonte: G1