Bruno ainda sonha em jogar uma Copa do Mundo, diz advogado

Morte de Eliza Samudio completa quatro anos nesta terça-feira. Segundo defensor, goleiro tem se exercitado para voltar a jogar.O goleiro Bruno, preso desde julho de 2010 pela morte de Eliza Samudio, a

O goleiro Bruno, preso desde julho de 2010 pela morte de Eliza Samudio, ainda tem a expectativa de jogar uma Copa do Mundo. A informa??o foi dada pelo advogado Francisco Simim, que defende o atleta. Nesta ter?a-feira (10), a morte da jovem completa quatro anos, segundo o processo.



?

Bruno Fernandes foi condenado pela Justi?a de Minas a 22 anos e tr?s meses de pris?o pela morte e oculta??o do cad?ver da ex-amante, al?m do sequestro do filho da jovem. Al?m de Bruno, outras cinco pessoas foram condenadas pela morte de Eliza. Segundo Francisco Simim, apesar de preso na Penitenci?ria Nelson Hungria, em Contagem, na Regi?o Metropolitana de Belo Horizonte, o goleiro n?o perdeu a esperan?a de voltar a jogar futebol e de disputar uma Copa do Mundo.

Quando foi preso, Bruno era atleta do Flamengo. Ainda de acordo com o defensor, o goleiro tem feito exerc?cios f?sicos no pres?dio, e conseguiu ganhar massa muscular. ?Est? otimista para o futuro?, resumiu o advogado. A Secretaria Estadual de Defesa Social (Seds) disse que Bruno, assim como qualquer detento com direito a banho de sol, pode usar estas duas horas do benef?cio diariamente para a pr?tica de atividades f?sicas. E que na unidade existe uma ?pelada? entre os presos.

DNA

Francisco Simim revelou, na semana passada, que o goleiro afirma n?o ser o pai do filho de Eliza, apesar de ter reconhecido a paternidade na Justi?a. A defesa do atleta deve apresentar, nesta semana, um pedido ao tribunal para que seja feito o exame de DNA, para apurar a paternidade do garoto, hoje com quatro anos. ?A Eliza tinha caso com v?rios jogadores na ?poca, n?o d? para saber?, disse Simim.

Entenda o caso

Bruno Fernandes foi condenado pela Justi?a de Minas, em mar?o de 2013, a 17 anos e 6 meses em regime fechado por homic?dio triplamente qualificado (por motivo torpe, asfixia e uso de recurso que dificultou a defesa da v?tima), a outros 3 anos e 3 meses em regime aberto por sequestro e c?rcere privado e ainda a mais 1 ano e 6 meses por oculta??o de cad?ver.

A pena foi aumentada porque o goleiro foi considerado o mandante do crime, e reduzida pela confiss?o do jogador. Eliza desapareceu em 2010 e seu corpo nunca foi achado. Ela tinha 25 anos e era m?e do filho rec?m-nascido do goleiro Bruno, de quem foi amante. Na ?poca, o jogador era titular do Flamengo e n?o reconhecia a paternidade.

Fonte: G1 Globo
Tópico