Butantan quer produzir vacina contra gripe suína de dose única

A partir do próximo mês começam a ser feitos os testes em cobaias.

O secretário estadual de Saúde de São Paulo, Luiz Roberto Barradas Barata, afirmou neste sábado que a partir de janeiro de 2010 o Instituto Butantan começa a produção em escala da vacina contra o vírus H1N1, que provoca a gripe suína. "O Butantan está querendo colocar um produto na vacina, uma coisa chamada adjuvante, que permitiria que fosse usada uma dose só. Se isso for possível, a gente consegue vacinar o dobro de pessoas. Esses testes começam agora a partir de outubro", disse o secretário.

A partir do próximo mês começam a ser feitos os testes em cobaias. Em novembro, um grupo de voluntários também deverá fazer o teste da vacina. "A intenção é que a partir de janeiro sejam produzidas cerca de 4,5 milhões de vacinas por mês. Até abril, serão 18 milhões de doses. Para a gripe normal, que produzimos todos os anos, utilizamos apenas uma dose. Os estudos feitos até agora para a possibilidade de precisarmos de duas doses para imunizar uma pessoa, com o intervalo de um mês", disse.

Até abril, deverão ser produzidas 18 milhões de doses, que serão repassadas ao Ministério da Saúde para distribuição nacional. A vacinação deve ocorrer entre o fim de abril e o começo de maio. O Ministério da Saúde vai indicar quais serão as prioridades.

Para o infectologista David Uip, diretor do Hospital Emílio Ribas, é preciso iniciar agora as discussões para o próximo inverno, já que o vírus H1N1 deverá voltar com força com a chegada do frio.

"No começo do ano já teremos uma dimensão do que vai acontecer, com os resultados obtidos no hemisfério norte, que já estará no inverno. Tudo o que temos de fazer é preparar as equipes para lidar com os casos graves. A vantagem que teremos em relação a este ano é já conhecer a doença. Resta saber também se serão com uma ou duas doses para imunizar as pessoas".

De acordo com o presidente da Fundação Butantan, Isaias Raw, fabricar vacinas é uma questão complexa, que depende do domínio da tecnologia, o que hoje o instituto é capaz.

"Não é como encher garrafas de Coca-Cola ou fabricar pães em uma padaria. Estamos com estudos adiantados e no próximo ano seremos capazes de fabricar mais de 4 milhões de doses ao mês".

O governador de São Paulo, José Serra (PSDB), disse que Estado e União investiram cerca de R$ 70 milhões para a fábrica de vacinas e que o planejamento para o período do inverno do ano que vem é adequado.

"A luta será maior ou igual à deste ano, mas estaremos em melhores condições para enfrentar a gripe. Acreditamos que haja menos histeria do que neste ano. Sabemos que a gripe suína é tão perigosa quanto a gripe normal, mas só os médicos acreditam nisso", disse, provocando risos da platéia, composta em sua maioria por médicos e estudantes de medicina.

Neste sábado, o Complexo Educacional FMU de São Paulo promoveu a sua 8ª Ação Saúde com o tema "Epidemias - Enfrentamento e Crise", no Parque do Ibirapuera. Estandes foram disponibilizados para a população, explicando as causas e efeitos da doença e também medidas para dificultar a contaminação.

Fonte: Terra, www.terra.com.br