THE: Cadeirantes processam empresas de ônibus coletivo

Em decorrência de maus-tratos e preconceitos, quatro cadeirantes estão processando empresas de transporte coletivo

Vítimas de mau atendimento e humilhação, os cadeirantes de Teresina sofrem para desfrutar do transporte coletivo, um direito comum a todos os cidadãos.

Eles alegam que além de sofrerem com a pouca acessibilidade dos pontos de ônibus, sofrem com a indiferença dos motoristas, que se recusam a parar para eles.

Em decorrência de maus-tratos e preconceitos, quatro cadeirantes estão processando empresas de transporte coletivo.

Segundo Amparo Sousa, diretora de acessibilidade da Associação dos Deficientes Físicos de Teresina (ADEFT), a situação de desrespeito se arrasta há muito tempo. ?A situação para nós está complicada.

Os cobradores não sabem utilizar o equipamento especial nos ônibus e ainda nos destratam. Param o ônibus a metros de distância, recusam-se a nos ajudar e falam que o equipamento está quebrado. É uma situação comum à maioria dos ônibus que rodam na cidade?, conta.

O cadeirante Verailton Silva foi vítima de acidente dentro de ônibus coletivo e precisou recorrer à Justiça para ter seus direitos atendidos. Ele, que utiliza o serviço coletivo para frequentar as sessões de fisioterapia no CEIR, não recebeu auxílio do cobrador.

O funcionário manuseou de forma errônea o aparelho que possibilita a entrada dos deficientes no transporte, acarretando na falha da bomba hidráulica. Consequentemente, ele foi retirado do ônibus e obrigado a esperar a próxima unidade.

?Fui humilhado pelos condutores e jubilado da fisioterapia semanal. Me senti prejudicado e resolvi entrar com o processo?, conta. Além dele, outros três deficientes físicos processaram alguma empresa de transporte coletivo.

?Fiz isso para ter meus direitos e de todos os cadeirantes atendidos. Os condutores de ônibus não estão preparados para nos receber e precisam de um curso de reciclagem?, frisa Verailton.

Segundo o Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos (SETUT), todos os motoristas e cobradores passam por curso antes de assumirem o emprego.

Ainda segundo o órgão, os mesmos fazem pelo menos um curso de reciclagem por ano e a próxima rodada está prevista para acontecer em maio deste ano. Caso a empresa receba alguma reclamação, o servidor é enviado para um curso de melhoramento.

O SETUT encoraja todos os cidadãos a denunciarem mau atendimento pelo telefone 0800-086-1010. O usuário deve informar o dia e horário em que foi vítima de mau atendimento e deve anotar o número do ônibus, localizado próximo à porta de acesso do veículo. A reclamação será analisada formalmente pelo sindicato e repassada para as empresas.

Fonte: Olegário Borges