Cadela que esperou dono preso tem reencontro após uma cirurgia

Cadela que esperou dono preso tem reencontro após uma cirurgia

animal, que na verdade tem o nome de Neném, está internado em uma clínica veterinária no bairro Bento Ferreira por ter passado por uma cirurgia

A cadela apelidada de Filhinha, que chamou a atenção por ter esperado pelo dono preso por quase um dia em frente a delegacia, em Vitória, teve o tão esperado reencontro na manhã desta quarta-feira (9). O animal, que na verdade tem o nome de Neném, está internado em uma clínica veterinária no bairro Bento Ferreira por ter passado por uma cirurgia, após ser atropelado. O dono, Eduardo de Oliveira, estava detido no Centro de Triagem de Viana, mas recebeu um alvará de soltura e foi liberado na noite desta terça-feira (8).

Eduardo foi preso no final da tarde do último domingo (6), no bairro Jardim da Penha, em Vitória, após furtar um carrinho de mão de uma obra. A cadela estava com ele e permaneceu na porta da delegacia por quase um dia aguardando a saída do dono, que foi transferido para o presídio sem que o animal percebesse. Na segunda-feira (7), ela acabou atropelada na Avenida Vitória, e foi socorrida por um casal que, sabendo da história, havia ido ao local disposto a adotá-la. O animal passou por uma cirurgia nesta terça.

Por conta do procedimento cirúrgico, a cadela está de repouso em uma clínica veterinária, mas ao rever o dono conseguiu se levantar e ficou animada. ?Ela é muito apegada comigo, tenho ela como amiga mesmo. Estava com saudades, pensando o que poderia ter acontecido com ela, por onde estava andando?, disse Eduardo.

Adoção

O médico Pedro Dettogni e sua esposa são as pessoas que estão dispostas a adotar a cachorrinha caso o verdadeiro dono permita. Questionado sobre a situação, Eduardo disse que permite a adoção se perceber que a família vai cuidar bem de Neném. ?Por mim, entrego ela se a pessoa tiver agradado mesmo da cachorrinha, quiser cuidar mesmo. Não tenho condições muito boas, mas devagar estou me estabelecendo. Já cheguei a morar na rua. A cachorrinha sempre me acompanhou, é minha verdadeira amiga?, falou.

A veterinária Sirlene Maradeia, que está cuidando do animal, tranquilizou o dono sobre a possível adoção. ?A pessoa que resgatou a cachorrinha é muito boa, não mediu esforços para cuidar dela. Realmente se eu tivesse que indicar alguém para adotá-la, seria o doutor Pedro?, falou.

Neném ainda precisa ficar cerca de 10 dias na clínica, para fazer o pós-operatório. Por ter fraturado as patas traseiras no atropelamento, ela está fazendo uso de antibióticos a anti-inflamatórios. Além disso, a cadela está com erliquiose, a doença do carrapato, e também está fazendo o tratamento.

Fonte: G1