Carreta passa por cima de van e sete pessoas morrem na BR-381

O trecho próximo ao local ficou bloqueado em meia pista durante toda manhã e os veículos foram retirados por funcionários da Auto Pista Fernão Dias.

Sete pessoas morreram e uma ficou ferida em um acidente entre uma van e uma carreta, na madrugada desta quinta-feira (5), no km 605 da BR-381, em Oliveira.

Apenas o motorista da van sobreviveu ao acidente, segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF). Ele foi levado para uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) em Lavras, no Sul de Minas, com traumatismo craniano. O estado de saúde dele é grave e segundo a administração, corre risco de morte.

O trecho próximo ao local ficou bloqueado em meia pista durante toda manhã e os veículos foram retirados por funcionários da Auto Pista Fernão Dias.

A van, com placa de Claraval, no Sul de Minas, seguia para Belo Horizonte e foi atingida por uma carreta carregada de cimento. O motorista da carreta, morto no acidente, perdeu o controle do veículo na pista, que é duplicada, invadiu a via contrária e passou por cima van. O veículo ficou destruído.

Ainda de acordo com a polícia, a maioria dos documentos de identidade dos ocupantes da van é de São Paulo. No município de Claraval, que tem 2 mil habitantes na zona urbana, a Polícia Militar (PM) e Prefeitura ainda não têm mais informações sobre o veículo.

"Soubemos logo cedo desse acidente e já pesquisamos para saber de onde esse veículo possa ser e o que os passageiros iriam fazer em BH, mas não tivemos nenhuma informação. Acreditamos que apenas a placa seja de Claraval e os ocupantes sejam de outras cidades”, disse o atendente da PM de Claraval, Bruno Alves.

O local foi isolado e a perícia foi acionada para averiguar o que pode ter provocado a colisão. A Polícia Rodoviária Federal disse que vai tentar obter informações sobre o acidente com o motorista da van. Ainda segundo a PRF, os corpos das vítimas foram levados a uma funerária em Oliveira. Em seguida, removidos para o Instituto Médico Legal (IML) de Campo Belo.




 

Fonte: G1