THE: Casa do presidente da Agespisa ficou sem água

THE: Casa do presidente da Agespisa ficou sem água

Vereador Edvaldo Marques disse que o abastecimento de água depende do abastecimento de energia elétrica

Os problemas de falta de água em Teresina não discriminam ninguém. Segundo o vereador coronel Edvaldo Marques, até a residência do presidente da Agespisa, Antônio Filho, ficou sem abastecimento ontem. "Ele mesmo que me falou", disse Edvaldo.

Por conta de tantos problemas de falta de água em Teresina, uma comissão de vereadores foi criada para procurar soluções junto à Agespisa. Edvaldo Marques compõe a comissão, que fez visitas às Estações de Tratamento de Água (ETA), onde os vereadores foram informados por técnicos da Agespisa do funcionamento da empresa e dos problemas, e segundo ele, o abastecimento depende diretamente da energia elétrica.

Edvaldo informou que, segundos os engenheiros da Agespisa, as três ETAs produzem 270 milhões de litros de água por dia, e o consumo da capital é de 170 milhões de litros. Quando deixam de ser alimentadas de energia, as estações de tratamento deixam de produzir. Assim, sobra uma reserva de água de 100 milhões de litros, mas que é consumida em menos de 24 horas.

Alguns projetos para solucionar o problema estão sendo providenciados. Um deles é a construção de uma ETA de menor porte para a região da Santa Maria da Codipi. "A energia necessária para levar a água de uma das ETAs até a Santa Maria da Codipi é tão grande que é mais econômico construir uma pequena lá", disse o vereador. A medida acabaria com o enorme tempo de espera que os moradores dessas regiões mais afastadas sofrem até o retorno da água.

Outro projeto é a construção de uma adutora para a ETA IV. No momento, as ETAs III e IV dividem uma única adutora, e a solução tornaria a ETA IV independente, e mais eficiente. Estas duas estações de tratamento são responsáveis por 60% do abastecimento de Teresina, e foi por problemas com elas que a capital sofreu a última falta de água longa.

Fonte: Andrê Nascimento