Casais se preparam para primeiro casamento gay do Piauí nesta sexta-feira

Casais se preparam para primeiro casamento gay do Piauí nesta sexta-feira

Ao todo quatro casais gays vão participar da cerimônia, que vai acontecer na sexta-feira (05), no Tribunal de Justiça do Piauí

Ter a união oficializada é o sonho de muitos casais, que desejam escutar o tão sonhado ?sim?, e fazer muitos planos com a pessoa amada. Na próxima sexta-feira, 05, será realizado no Tribunal de Justiça, o 1° casamento gay do Piauí.

Quatro casais de lésbicas casarão no civil e entrarão para a história do movimento LGBTT no Piauí.

O nervosismo e a ansiedade já estão presentes no cotidiano de Sandra Marques, que já está com tudo preparado para o grande dia. ?Não estou mais dormindo, até brinco com a minha noiva que na hora do ?sim? vou cair no sono, mas ela já disse que me acorda, e que só sai do Tribunal de Justiça casada?, brincou Sandra, que já está com as alianças compradas, festa organizada e a viagem de lua de mel garantida.

Ela conta ainda que conheceu a futura esposa por acaso, por conta de uma ligação perdida, e quando se encontraram foi amor à primeira a vista, ficando inevitável não oficializar a união entre as duas. Os padrinhos já estão escolhidos, será o sobrinho de Sandra. ?Minha família não aceitou no começo, mas sempre tive o apoio da minha avó. Hoje boa parte da família já entende e me apoia, inclusive meu sobrinho disse que não posso fazer a futura esposa sofrer?, contou Sandra.

O casal completa nove meses na data do casamento, tornando o dia ainda mais especial e inesquecível. ?Nosso amor foi à primeira vista. Quando nos conhecemos a química entre nós foi tão forte que decidimos ficar juntas. Sei que existe o preconceito, mas as pessoas têm que aprender a respeitar, pois o que sentimos é amor, não somos diferentes de nenhum outro casal. Nossa sintonia é tão grande que quando penso em ligar para ela, meu telefone já está tocando?, disse Sandra.

O casamento organizado pelo Grupo Matizes, que defende a causa LGBT no Piauí, entrará para a história do movimento, por ser o sexto estado brasileiro a realizar a união civil entre homossexuais. O casamento garante os mesmos direitos de um casamento civil entre heterossexuais, ou seja, uma certidão de casamento, acrescentar o sobrenome do cônjuge e a divisão de bens em caso de separação.

Fonte: Francisco Lima e Gisele Alves