Casal escapa de embarcar no avião

O professor francês e sua mulher se esforçaram para embarcar no voo, que estava lotado.

Um casal de franceses "escapou" de estar no voo AF 447, que desapareceu na noite de domingo (31) enquanto fazia a rota entre Rio de Janeiro e Paris. "Foi um milagre, nós deveríamos estar no avião", disse o professor de Medicina francês Claude Jaffiol. Ele e sua mulher se esforçaram para embarcar no voo, que estava lotado.

Na manhã desta segunda-feira, no aeroporto Internacional do Rio, o Galeão, eles ficaram surpresos com a notícia do desaparecimento do avião, com 216 passageiros e 12 tripulantes.

"Estávamos em Brasília e decidimos encurtar a nossa permanência e voltar a Montpellier [sul da França]", disse Jaffiol à France Press. Segundo ele, um amigo do casal, cônsul da Holanda em Brasília, chegou a tentar intervir para que o casal embarcasse no voo AF 447. "Ele [cônsul] fez de tudo para nos colocar no avião, sem sucesso. Estava cheio", disse o professor.

O professor de Medicina fazia uma viagem de turismo a Brasília, depois de ter participado de um congresso no Rio.

"Tivemos uma sorte incrível, mas depois tivemos medo e pensamos naqueles que estavam no avião", Amina, mulher de Jaffiol.

O voo AF 447 decolou por volta das 19h de domingo do aeroporto do Galeão (Tom Jobim) e deveria pousar no aeroporto Charles de Gaulle, em Paris, por volta das 11h local (6h de Brasília). Em nota, a empresa afirma que a aeronave "cruzou uma zona com forte turbulência" por volta das 23h (horário de Brasília) e enviou alerta automático sobre problemas no circuito elétrico às 23h14.

Passageiros

A Air France informou nesta segunda-feira que 80 brasileiros estão entre os passageiros do voo AF 447, que desapareceu na noite de domingo. O avião transporta 228 pessoas, sendo 12 tripulantes e 216 passageiros --82 mulheres, 126 homens, sete crianças e um bebê.

Segundo a empresa, há ainda 76 franceses, 18 alemães, nove italianos, seis norte-americanos, cinco chineses, quatro húngaros, dois espanhóis, dois ingleses, dois marroquinos e dois irlandeses.

Há também um passageiro de cada um desses países: Angola, Argentina, Bélgica, Islândia, Filipinas, Noruega, Polônia, Romênia, Rússia, Eslováquia, Suécia, Áustria e Turquia. De acordo com a Air France, há dificuldade na identificação de alguns passageiros, em razão de eles não terem preenchido o cartão de embarque.

Fonte: Folha Online, www.folha.com.br