Casal homoafetivo oficializa união civil no Tribunal de Justiça

Dos 58 casais, apenas 1 é homoafetivo

Cinquenta e oito casais disseram sim ao amor e oficializaram a união civil na segunda-feira (24). O casamento coletivo foi promovido por meio parceria entre o Grupo Matizes e Corregedoria do Tribunal de Justiça do Estado.

A iniciativa é um dos pontos altos da programação da 11ª Semana do Orgulho de Ser, que iniciou na sexta-feira (21) e nesta edição tem como tema “Os Arranjos Familiares na Contemporaneidade: Quem Ama Cuida”.

Dos 58 casais, apenas 1 é homoafetivo. O professor da Universidade Federal do Piauí (Ufpi), Solimar Oliveira, aproveitou a oportunidade e casou com o seu companheiro. Para ele, o casamento veio em um momento certo. “Uma decisão importante que tomamos com maturidade”, conta Solimar.

Do ponto de vista social, Solimar Oliveira considera que o casamento igualitário é um ato não só de reafirmação de identidade, mas de direitos conquistados. O professor destaca que é preciso naturalizar esse acontecimento na sociedade.

Image title

Dados do Grupo Matizes apontam que de maio de 2013 para 2015, 45 casais gays oficializaram a união perante a justiça. “Por receio de se expor, muitos evitam a oficialização.

Temos que mostrar que a união homoafetiva é algo natural, como qualquer união”, disse Solimar Olveira A primeira solenidade de casamento coletivo promovida pelo Grupo Matizes e o Tribunal de Justiça do Piauí foi realizada em 2013. A coordenadora da entidade, Marinalva Santana, relembra que na época, a atividade foi restrita apenas para casais homoafetivos.

“Este ano, a solenidade abrangeu tanto casais héteros como gays. A intenção é mostrar os diferentes arranjos familiares para a sociedade entenda que todos são válidos.

A sociedade precisa amadurecer e entender que casamento é casamento independente se for entre pessoas do mesmo sexo”, coloca Marinalva Santana.

A programação da 11ª Semana do Orgulho de Ser segue até o dia 30 de agosto, com a Parada da Diversidade e show da cantora Vanessa da Mata. Hoje (25) o tema “Parentalidade divergente: a concepção por casais homoafetivos” será discutido no auditório em uma faculdade de Teresina.

Image title


Fonte: Virgínia Santos e Izabella Pimentel