Casas são alvo da ação de bandidos durante as férias

Casas são alvo da ação de bandidos durante as férias

De acordo com pesquisas, o número de roubos a residências aumenta quando os moradores se ausentam.

A zona Leste de Teresina é considerada uma das áreas mais nobres da cidade por ter, em alguns dos seus principais bairros, uma concentração maior de famílias com poder aquisitivo elevado.

A verticalização da cidade é crescente, sobretudo em alguns bairros próximos aos shoppings, e o surgimento a cada dia de novas obras, lojas e prédios comerciais demonstra que é pungente o crescimento econômico da região.

É também na zona Leste que se concentram um grande número de mansões que nesta época do ano - quando muitos saem de férias ou aproveitam o recesso para viajar - deixam a movimentação pelas ruas de bairros como Jóquei, Ininga, Horto, São Cristóvão entre outros cada vez menor.

É justamente este fato que encoraja a ação de bandidos e assaltantes especializados em arrombamentos de casas que ficam sozinhas nessa ocasião. De acordo com pesquisas, o número de roubos a residências aumenta quando os moradores se ausentam, principalmente se for por longos períodos.

Por isso, é preciso adotar algumas medidas para proteger a casa quando for viajar e garantir tranquilidade.

É justamente por conta dessa característica, que muitas famílias teresinenses têm investido cada vez mais em gastos com a segurança além dos muros altos e cercas elétricas que são quase que uma marca registrada das residências na zona Leste da capital.

“Só um muro alto não impede a ação dos bandidos e hoje em dia o perigo ronda. Nunca me esqueço que ano passado invadiram uma casa ao lado da minha e levaram simplesmente tudo de valor como televisores, Dvds, computadores e joias da família. Acredito que só não arrombaram minha casa por conta dos cachorros e da cerca elétrica”, revela a advogada aposentada Maria Lúcia de Brandão Costa, que reside no Horto Florestal.

Ela conta que quando houve o assalto, muitos moradores se assustaram com a ousadia dos bandidos que aproveitaram as festas de fim de ano para arr o m b a r uma das casas que ofereciam menos segurança.

“Depois disso fiquei com medo e resolvi instalar todo um sistema eletrônico de monitoramento e, além da cerca elétrica que eu já possuía, contratei a instalação de câmera para ver quem chega ou está na rua próximo à minha casa, alarme sonoro e o serviço da empresa de segurança que eu pago mensalmente”, revela a advogada.

Fonte: Marcilany Rodrigues